Luanda - O Presidente do Conselho Nacional da Juventude (CNJ), Isaías Kalunga, acusou esta quinta-feira, 19, o Secretário de Estado para a Juventude de “mentir aos deputados na Assembleia Nacional” sobre as verbas atribuídas ao CNJ.


Fonte: Correio Kianda / Novo Jornal

“Os parlamentares foram enganados. O MINJUD não tem competência de retirar ou atribuir verbas ao CNJ. Somos uma instituição de utilidade pública e temos o nosso estatuto”, disse, Isaías Kalunga, em declarações publicadas hoje pelo Novo Jornal.



Em causa está o anúncio feito por Francisco Chitapa esta quarta-feira, 18, na Assembleia Nacional, dando conta que o Conselho Nacional da Juventude vai deixar, a partir do próximo ano, de beneficiar de verbas do Orçamento Geral Estado (OGE).


O Secretário de Estado para a Juventude referiu que o montante passa a ser atribuído ao Instituto Angolano da Juventude, por considerar o CNJ uma plataforma de concertação social para análise dos problemas da Juventude, e não uma organização de materialização de políticas.


“O MINJUD não tem competência para retirar as verbas do CNJ no OGE. Nós não dependemos do MINJUD”, reforçou, Isaías Kalunga, e voltou a ressaltar que “o Secretário de Estado mentiu aos angolanos e enganou os parlamentares com essas falsas afirmações”.



Isaías Kalunga instou ainda Francisco Chitapa a “ler melhor o estatuto do CNJ”.


De recordar que aparentemente já a prever essa cobrança sobre a real função do CNJ, esta terça-feira, 17, o CNJ anunciou a realização do acto central de abertura do ano associativo juvenil irá decorrer, no dia 28 de Janeiro, em Cabinda.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: