Luanda - O presidente da Associação dos Diplomatas Angolanos (ADA), o embaixador António Luís de Lima Viegas, denunciou a existência de problemas internos no Ministério das Relações Exteriores, onde diz estarem a ser violadas as regras de admissão na função pública.

Fonte: Novo Jornal

Os quadros do Ministério das Relações Exteriores dever ser, apenas, admitidos por intermédio de concursos públicos", disse António Luís de Lima Viegas quando falava aos deputados, no âmbito da discussão na especialidade, do Orçamento Geral do Estado (OGE) para 2023, na Assembleia Nacional, onde estão a recolher contribuições dos parceiros sociais, para a melhoria da proposta que vai à votação final ainda este mês.

 

O presidente da Associação dos Diplomatas Angolanos manifestou-se contra o recrutamento e introdução de pessoas alheias à instituição, com base na amizade e da relação familiar, contornando os concursos públicos.

 

O diplomata lamentou a exiguidade de verbas que são disponibilizadas às representações diplomáticas fora do País, que têm fragilizado o sector.

 

A Associação dos Diplomatas Angolanos, fundada em 2002, tem vindo a aconselhar o Executivo a reduzir o pessoal das missões diplomáticas, com vista à contenção de despesas, sobretudo da massa salarial em moeda estrangeira.

 

De referir que depois da votação do OGE 2023 na generalidade e agora na discussão na especialidade, os presidentes das comissões esperam que os parceiros sociais trazem contribuições concretas no sentido de apoiar o trabalho que está a ser feito em prol do OGE.

 

Por isso, defendem um diálogo permanente e profícuo entre o Executivo para melhorar as condições de vida e de trabalho dos cidadãos que exercem actividades em vários sectores.

 

Passados três dias da discussão na especialidade do OGE 2023, as comissões de Assuntos Constitucionais e Jurídicos, de Defesa, Segurança, Ordem Interna, Antigos Combatentes e Veteranos da Pátria, das Comissões de Relações Exteriores, Cooperação Internacional e de Cultura, Assuntos Religiosos, Comunicação Social, Juventude e Desportos, já interagiram com os parceiros sociais.

 

A Presidente da Assembleia Nacional, Carolina Cerqueira, espera que o diploma seja elaborado com o contributo de todos e que responda às preocupações das famílias e das empresas.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: