Além disso, outras garantias como carros e casas de função foram devidamente acauteladas pelos deputados em fim de mandato.

«Corrupção nas alfândegas do terminal do Aeroporto» é uma matéria que retrata denúncias concretas de várias pessoas, mormente comerciantes que se dizem roubadas pelos funcionários ali colocados.

O Agora destaca «Ngongo agastado com MPLA e UNITA» numa clara alusão a críticas que o ministro do Interior fez durante uma entrevista à Rádio Nacional de Angola, onde dizia que nunca tinha visto nem ouvido um dirigente dos partidos que tiveram armas a encorajar a população a entregá-las voluntariamente agora que está em curso um processo de desarmamento da população civil.

«Toda a história da vida de Obama» é, no entanto, a grande manchete, seguindo-se outros títulos fortes como «Impunidades de Melo Xavier chegam ao fim», encerrando os destaques com as «Trapalhadas eleitorais».

O Jornal Visão abre com «MPLA brinda vitória antecipada no Uije» a que se junta um dossier sobre a governação daquela província que vai a dois picos, segundo o jornal.

Segue-se ainda «CIPE garante eleições sem guerra», «FAA aperta gatilho e um
inocente cai morto» e «No tribunal, Graça Campos defende o último argumento».

O Semanário Angolense traz na capa a polémica suspensão do apresentador de televisão Ernesto Bartolomeu, destacando «Presidência da República ignorou recurso de Ernesto Bartolomeu», mantendo, por isso, a suspensão do jornalista por cinco meses.

Outra apresentadora de televisão Manuel Lemos é descrita como tendo problemas psico-emocionais e vai ser evacuada para o exterior do país. «Patónio e bófias falaram sobre o «Caso Miala»» e «França Van-Dúnem perdeu a corrida».

A manchete é «Kope, nome por que também é conhecido o general Kopelipa, está rodeado de amigos da onça?», interroga o semanário que adianta estar acontecer que «presumíveis amigos e colaboradores directos do chefe da Casa Militar têm posto cá fora os detalhes de um gigantesco projecto de media que ele vem desenvolvendo sigilosamente».

«Para colmatar insuficiência de quadros, UNITA pesca em águas do MPLA» e «Acidente de viação quase acabou em tragédia, Polícia encobre agressores», fecha o leque de destaques.

O Novo Jornal abre com «Islão dentro de casa» em que se reporta sobre a expansão desta religião entre os angolanos que tem no casamento a principal via.

«Zimbabwe pede ajuda a Angola» é uma matéria que tem que ver com a suposta falência das finanças públicas de Mugabe que foi obrigado a pedir ajuda para suportar as eleições presidenciais.

Outro destaque vai para a reunião do Bureau Político do MPLA que se realiza hoje dedicada à escolha definitiva dos deputados para a próximas legislatura.

O caderno economia traz «Combustível mais caro» projecta a morte lenta das companhias de aviação que operam no espaço aéreo angolano, na sequência do encarecimento do jetA-1.

No semanário A Capital destaca-se a retirada das imunidades ao deputado Melo
Xavier. «Imunidades parlamentares?» «Isso já não lhe pertence mais». Na nota
explicativa lê-se que agora Melo Xavier vai finalmente sentar-se no banco dos réus.

Na sequência do dossier que este semanário vem a abordar desde a semana passada sobre a gravidez na adolescência, o jornal traz o título-questão «Sai um aborto?». A constatação é de que as autoridades perderam o controlo do aborto clandestino.

«Fantasmas «comem» dinheiro das FAA», diz o jornal que são mais de três mil. A Capital encerra com a notícia da captura, pela Polícia do Kuanza-Norte, de Santos Nhamena «el matador» que aniquilou toda a sua família.

Fonte: VOA



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: