Lisboa – Figuras do grupo parlamentar  do  MPLA, queixam-se  em meios partidários sobre a existência de uma alegada  “corrente interna” na bancada do “partido”  formada por quadros históricos da linha de Lopo de Nascimento. 


Fonte: Club-k.net

 

De acordo com as observações/queixas levantadas, os  “quadros históricos” participam nas reuniões da bancada parlamentar,  na vila-alice mas postos nas  plenárias defendem as suas próprias posições pessoais  “subvertendo” a imagem de consenso partidário.

 

Acções identificadas nos mesmos:


-  Diante as plenárias, são capazes de discordar com  propostas partidárias já discutidas a nível do partido  e  acertadas a se votar em favor  mesmo que individualmente, o deputado esteja em desacordo.


- Recentemente surgiu na própria  bancada do MPLA votos contra a indicação de Virgilio Fontes Pereira como Presidente do grupo parlamentar em substituição de Bornito de Sousa que foi para o Governo.

-  Impoe-se pela sua condição de figuras  históricos e chegam a ralhar os próprios deputados mais novos do MPLA,  na presença dos “adversários” de outros partidos. (João Pinto foi recentemente destratado por Lopo do Nascimento)


 
Para além de Lopo de Nascimento outras figuras ao qual são identificadas tais comportamentos são os deputados, França  Van-dunem e Paulo Teixeira Jorge.  O falecido deputado Ndunduma também fazia parte da referida corrente. 

 

A poucos meses,  os deputados do MPLA do circulo provincial teriam levantado a questão de acomodação em Luanda e outras regalias. O histórico Paulo Teixeira Jorge teria se oposto a discussão invocando que o “seu” MPLA não lutou para regalias dos dirigentes. Defendeu que se deveria antes discutir “regalias” para o povo e só depois,  pensar em si próprio.


João Pinto destratado por Lopo do Nascimento

 

João Pinto foi no decurso de uma plenária parlamentar alvo de  uma critica bastante irônica feita pelo deputado e histórico dirigente do MPLA, Lopo do Nascimento.  O jovem deputado terá se sentido enxovalhado/minimizado  perdendo reacção de responder. Diz-se que foi a primeira vez que mereceu destratamento de alguém grande do “seu” partido.  O também acadêmico tem a reputação de interromper as intervenções dos mais velhos na Assembléia e as vezes incorrendo em atitudes inapropriadsa. Uma das figuras do partido que  o adverte  a abortar de tais praticas   é o Vice-Presidente do parlamento, João Lourenço. O ex – SG do MPLA corta-lhe  antecipadamente quando sente  que o jovem deputado tenciona subverter as plenárias.   



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: