Luanda - O líder do maior partido da oposição em Angola, Dr. ISAÍAS NGOLA SAMACUVA, de algum tempo a esta parte tem efectuado uma série de visitas, aos municípios da cidade capital angolana, com destaque para as administrações onde conferencia com as edilidades, e outras instituições públicas e privadas, visando a constatação do seu funcionamento e inventariação dos problemas que carecem de pronta intervenção do executivo sob liderança de Sua Excia Eng.º JOSÉ EDUARDO DOS SANTOS, Presidente da República de Angola; no fim das quais - de cada visita - concede entrevistas dando conta dos resultados.

Fonte: Club-k.net


Embora algum público exija que se faça acompanhar de certos meios, o líder da UNITA não tem feito mais do que constatações e levar ideias/sugestões, porquanto dizem não  possuir meios financeiros e materiais, e diga-se,  não é esta a vocação de um partido político na oposição.


Depois dos Municípios do Cazenga, Cacuaco, Sambizanga, Kilamba Kiaxi e Viana, esta Quarta-feira foi a vez da Maianga, onde entre outras instituições visitou a FACULDADE DE LETRAS E CIÊNCIAS SOCIAIS(FLCS), sem que tal visita tivesse sido do prévio conhecimento dos estudantes daquela unidade orgânica da Universidade Agostinho Neto, ou tivesse merecido qualquer publicitação. Situação que, na tarde e princípio da noite daquele dia, irritou os estudantes tendo estes mesmo tecido comentários que manifestavam desagrado face a referida atitude.

 

Os estudantes, alguns dos quais do curso de Ciência Política, esperavam serem abordados, por via de uma palestra, sobre a sua visão e preocupações em relação ao "ESTADO DA NAÇÃO" social, económica e política/democrática, em geral e da FLCS em particular, e abordarem ISAÍAS SAMACUVA sobre um conjunto de situações/factos, pois tal nunca ocorreu desde as últimas eleições ocorridas em Angola, depois das quais a UNITA teceu duras críticas à forma como decorreu o processo, alegando mesmo terem sido fraudulentas. Ouviu-se muitos estudantes dizerem que os ilustres visitantes terão preferido contactos de cortesia e políticos com a Direcção da Faculdade à té-lo - num ambiente mais académico - com os estudantes, que, de resto são a razão de ser daquela instituição académica. Factos que motivaram alguns questionamentos sobre o nível de sensibilidade do também líder da oposição, em relação a assuntos ligados a academia, se a sua visita manifesta alguma preocupação genuína ou se não passou de charme, entre outros comentários.

 

De realçar que a UNITA tem no seu seio dirigentes cujo capital intelecto/académico não fica a dever a quase ninguém de outra sensibilidade política neste país, alguns dos quais a darem cartas como professores nas várias universidades de Angola. Entretanto, segundo alguns estudantes a maior parte desses intelectuais estão agastados com o líder do Galo Negro e nutrem afecto e simpatia à Abel Chivukuvuku, ex deputado e contendor de Samacuva para a ocupação do cadeirão maior do partido que perdeu a guerra contra o Governo do MPLA, em 1992 - e por isso andam marginalizados -,  Daí que, comentaram ainda, a UNITA supostamente perdeu muito dos benefícios do empenho dos académicos que nela militam, dando-se primazia a carreiristas e defensores incondicionais do espírito de mwangai.


Realce-se ainda que o Eng.º Ernesto Mulato, Vice-presidente da UNITA, esteve na FLCS em 2006 a convite de um grupo de estudantes do curso de Ciência Política afim de proferir uma palestra sobre a "HISTÓRIA DE ANGOLA," para o qual também foram convidados os Dres. Rui F. Pinto de Andrade(ausente) e Vicente Pinto de Andrade(presente). Mas antes, em 2005, Isaías Samacuva proferiu uma Palestra sobre o "O ESTADO DA NAÇÃO" à estudantes universitários e demais interessados - no Museu Nacional de Histórias Naturais - a convite de um grupo de jovens, no quadro de um conjunto de Palestras/Debates levado a cabo por aquele(grupo), que mais tarde deu lugar ao "GRUPO DE REFLEXÃO."

 

Outrossim o clima "ameno" com que estão a ser efectuadas as  visitas do igualmente tratado como KOTA SAMA , com "trocas de sorrisos" entre os visitantes e visitados, mais alguns elogios a mistura, tem causado alguma estranheza dentro e fora das hostes da UNITA, partido que viu o número de deputados baixar de setenta(70) para dezasseis(16), como resultado do pleito eleitoral de Setembro de 2008.


Fez parte do grupo de dirigentes da UNITA que visitou a FLCS, entre outros, Daniel Domingos "Maluca"(ex deputado e professor universitário), tido como um delfim incondicional do "mano Sama."


Ficou assim registado nos anais da história da FLCS e dos estudantes dessa época, a visita de um líder político, com pretensões de ascender ao poder, sem ter dado cavaco aos estudantes. Como disseram alguns, "o Kota Sama não deu "confiança," quem somos nós antes das eleições?"


Visando prover este texto de elementos que o conferisse o máximo de rigor possível, esforços foram feitos para contactar alguém da Direcção da UNITA, mas valeram apenas para "alcançar o vento."

*Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: