Lisboa - O grupo angolano Score Media, que detém as publicações económicas Expansão e Estratégia, vai lançar uma rádio generalista chamada Expansão FM ainda este ano, disse à Lusa o coordenador do projecto Juvenis Paulo.


Fonte: Diário Digital / Lusa


ImageA data para o início da emissão foi agendada para 11 de Novembro, dia da independência de Angola, em 1975, estando já "criadas todas as condições" para o seu arranque.


A Expansão FM, que fora anunciada aquando do lançamento do jornal económico Expansão, há cerca de um ano, faz parte do projecto inicial da Score Media, que integra o poderoso grupo Score Investments, mas só agora foi anunciado o nome e concretizada a data para ir para o ar.


O coordenador do projecto radiofónico disse ainda à Lusa que a Expansão FM vai avançar com um corpo de 25 profissionais, entre técnicos e jornalistas, e terá uma forte componente informativa, com noticiários de hora a hora, com sínteses a cada 30 minutos, e a emitir 24 sobre 24 horas, sendo a primeira com este formato em Angola.


As emissões desta rádio, que conta com um investimento de dois milhões de dólares, cingir-se-ão à cidade de Luanda e arredores.


"Vai ser uma rádio de palavra, comprometida com critérios de rigor editorial, de forma a constituir um contributo para o desenvolvimento económico, social, político e cultural de Angola", apontou Juvenis Paulo.


Apesar de se tratar de um projecto generalista, dando continuidade aos já existentes projectos de media da Score Media, o jornal semanário Expansão e a revista Estratégia, a Expansão FM, segundo Juvenis Paulo, terá "uma forte componente económica".


Os jornalistas e técnicos da rádio serão quase na totalidade angolanos mas Juvenis Paulo admite que possa ocorrer a colaboração de profissionais de outras nacionalidades.


Actualmente Luanda conta com cerca de uma dezena de rádios, embora as com maior pendor informativo sejam a Eclesia, da igreja católica, a Despertar e a Rádio Nacional de Angola.


Destas, apenas a nacional, estatal, emite para as 18 províncias de Angola, enquanto as restantes, tal como vai acontecer à Expansão FM, cingem-se a Luanda devido a restrições impostas por lei, que é há muito contestada pela Eclesia e pela Despertar.


Na génese desta limitação está a falta de regulamentação da Lei de Imprensa que já foi aprovada há vários anos pelo Parlamento.


Tal como acontece com os principais grupos de media angolanos, também a Expansão FM, da Score Media, tem propriedade desconhecida.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: