Luanda - A infraestrutura critica energética é a espinha dorsal do crescimento económico e desenvolvimento social do país. No entanto, temos de aceitar que a crescente digitalização do sector energético expõe à ameaça crescente de ataques cibernéticos. Dado o papel crítico da rede eléctrica na sustentação da infraestrutura do país, é imperativo que implementemos proactivamente medidas robustas de segurança cibernética. Ao fortalecer a rede eléctrica contra potenciais ameaças cibernéticas, pode-se também garantir o fluxo ininterrupto de electricidade e salvaguardar a sua estabilidade económica e segurança nacional.

Fonte: Club-k.net

Compreender as vulnerabilidades da rede eléctrica


À medida que a rede eléctrica do país tambem evolui para integrar tecnologias inteligentes e infraestruturas digitais, torna-se susceptível a

uma série de ameaças cibernéticas. Desde ataques de ransomware a intrusões maliciosas, as consequências potenciais de um ataque cibernético bem-sucedido à rede elétrica podem ser catastróficas. As interrupções no fornecimento de energia podem não só resultar em perdas económicas, mas também afectar serviços críticos, a segurança pública e o bem-estar geral dos cidadãos.


Principais medidas para proteger a rede eléctrica contra-ataques cibernéticos

A realização de avaliações de risco abrangentes é essencial para identificar e compreender as vulnerabilidades presentes na infraestrutura digital da rede elétrica. Ao avaliar-se regularmente as fraquezas do sistema e os potenciais pontos de entrada para ameaças cibernéticas, podemos implementar proactivamente medidas para fortalecer as suas defesas e prevenir potenciais violações.


Restringir o acesso a sistemas e dados críticos por meio de protocolos de autenticação rigorosos e controles de acesso baseados em funções pode mitigar significativamente o risco de invasões não autorizadas. Assim sendo, impor controlos de acesso rigorosos, pode garantir que apenas pessoal autorizado possa aceder a informações sensíveis e fazer alterações críticas na rede eléctrica.


A instalação de sistemas avançados de detecção de intrusão pode permitir o monitoramento em tempo real da rede elétrica. Esses sistemas podem identificar rapidamente quaisquer actividades suspeitas, tentativas de acesso não autorizado ou comportamento anómalo, permitindo assim respostas imediatas a possíveis ameaças cibernéticas antes que elas possam causar interrupções significativas.


Porem, implementar protocolos de comunicação seguros e métodos de transmissão de dados criptografados pode salvaguardar a troca de informações críticas na rede elétrica. Canais de comunicação seguros podem evitar espionagem e manipulação de dados, garantindo a integridade e a confidencialidade dos dados confidenciais transmitidos pela rede.


Importa também dizer, que a realização de programas regulares de treinamento em segurança cibernética para o pessoal do sector energético pode aumentar a sua consciencialização e compreensão sobre possíveis ameaças cibernéticas. Educar os funcionários sobre as melhores práticas de segurança cibernética, como reconhecer tentativas de phishing, evitar links suspeitos e manter senhas fortes, pode reduzir significativamente o risco de erros humanos que levam a vulnerabilidades cibernéticas.
O desenvolvimento de planos abrangentes de resposta a incidentes específicos para ataques cibernéticos no sector energético é crucial para minimizar o impacto de potenciais violações de segurança. Esses planos devem delinear protocolos claros para identificar, conter e resolver prontamente incidentes cibernéticos. Exercícios e simulações regulares podem ajudar a testar a eficácia destes planos e garantir uma resposta rápida e coordenada em caso de ataque cibernético.


A protecção da rede eléctrica de Angola contra ameaças cibernéticas não é apenas uma necessidade técnica, mas também um imperativo crítico

para o bem-estar económico e social do país. A salvaguarda da rede eléctrica é vital para garantir o fornecimento ininterrupto de electricidade, manter a segurança pública e sustentar o progresso da nação rumo a um futuro digitalmente capacitado. Ao dar prioridade à cibersegurança no sector energético, estaríamos a reforçar a nossa posição como fornecedor de energia resiliente e seguro no cenário global.

Jacinto Marques, Mestre em Ciberseguranca Hacker Ético Expert
Instagram: jacintomarquesoficial