Luanda - Tal como Jesus Cristo alertou aos seus discípulos que seria traído antes do cantar do galo, Jonas Savimbi também profetizou: vocês dizem que Savimbi é nosso guia, mas hão-de me abandonar na primeira esquina e trairão a memória dos nossos heróis. E quando isso acontecer, ficarei apenas com os soldados e com o povo. Dito e feito. Realmente é o que se vê: quem está com Savimbi são os que mais sofreram durante a guerra. Quem está com Savimbi é o povo. Nas ruas, os jovens clamam pelo seu Marechal e, muitos deles, confessam-se arrependidos por não o terem entendido. Outros, apenas, dizem que, afinal, Jonas Savimbi tinha razão! As zungueiras entoam canções a suplicar por Savimbi! Isto não é invenção minha. Basta abrir o YouTube, está tudo lá: “oh, Zé Du, vai dizer ao Savimbi que o povo está a sofrer!”.

Fonte: Club-k.net

Vê-se que o povo é grato! O velho Jonas tinha razão ao dizer que os angolanos reconheceriam a razão da sua luta. Savimbi também não estava enganado ao cogitar que alguns de seus discípulos o negariam antes do raiar do sol. Esses tais, durante a guerra, tiveram a sorte de serem enviados para missões no estrangeiro, enquanto os bravos combatentes das FALA tombavam heroicamente nas frentes de combate, e, também, alguns deles, tinham o privilégio de privar com Jonas Savimbi nos momentos de descontração e lazer. O troco é esta ingratidão que assistimos hoje: escrevem sobre episódios questionáveis para, simplesmente, banalizar a pessoa de Jonas Malheiro Savimbi, presidente fundador da UNITA, partido que, tal como ontem, abriu as suas listas de deputados aos de fora. – “Walikuminya ocipa cekisi, lolona viaco”.


O jogo de assoprar e morder, com a finalidade de colocar em causa a imagem de Jonas Savimbi, deve ser reprovado por aqueles que nunca duvidaram do Projecto de Mwangai.


Quem maltrata o teu pai não te respeita. Quem te vende um livro no qual banaliza a personalidade do Presidente fundador e Alto-Comandante das FALA está claramente a chamar de burro a muito boa gente. E isso deve ser reprovado de forma muito clara.


Uma coisa é certa: os verdadeiros discípulos de Jonas Savimbi estarão sempre na defesa do seu líder fundador.

Voltarei...

Huambo, 22 de Novembro de 2023.

*Gerson Prata*