Luanda - “Existo para contribuir para transmitir ideias positivas. Deus é Quem mas dá. Eu apenas as transmito aos governantes e aos súbditos, de modo a poderem reflectir. É com base nisto que consigo explicar tanta inspiração.”

Fonte: Club-k.net

O João Pinto, em reacção ao meu texto “Pedido de Ajuda Divina”, comentou: “Eu estou a ficar preocupado com o seu paternalismo!...” E eu reagi, escrevendo:
“Amigo João Pinto*, não preocupes comigo.


1. Preocupa-te contigo, que mesmo sendo um bom deputado, pelo teu empenho e intervenção em grandes projectos e propostas legislativas e questões políticas, foste preterido em favor de militantes novatos e inexperientes.

2. Preocupa-te com o facto de haver muitas crianças sem escola e com a má qualidade do ensino.

3 Preocupa-te com a falta ou insuficiência de leitura por parte dos angolanos, visto que não serão competitivos em relação aos demais cidadãos dos países da África Austral.

4. Preocupa-te com a pouca produção de livros e com os preços elevados destas fontes de leitura impressas.

5. Preocupa-te com a frustração dos teus e meus compatriotas, muitos dos quais ficam agastados, quando ouvem ou lêem “Angola é um país ‘rico’ e belo”.

6. Não te preocupes comigo, pois, embora seja um indignado por causa do sofrimento dos meus concidadãos ainda consigo fumar um charuto reflexivo, que me inspira a escrever textos com conteúdos promotores da mudança de mentalidade dos governantes e governados, com vista o desenvolvimento económico e social do nosso País.

7. Preocupa-te com a divisão notória do teu e meu partido, ou seja, com a divisão dos eduardistas, os lourencistas e os fernandistas. Por isso, preocupa-te com a união do MPLA. Entretanto, presumo em que grupo te inseres.

8. Preocupa-te em chamar aquejes e aquelas que, sorridentemente, usavam camisolas e cachecóis com as cores do MPLA e, actualmente, preferem guardá-los no fundo das gavetas dos seus respectivos guarda-roupas, devido ao descontentamento ou pelo facto de terem sido humilhados.

9. Preocupa-te com os que preferem ver a banda passar, com os que preferem ficar sobre o muro e com “militantes melancias”, que são vermelhos por dentro e verdes por fora.

10. Preocupa-te com os que só aplaudem. Porém,
são incapazes de apontar um único mas.

Amigos João Pinto, não te preocupes comigo. Eu já tenho mais de meio século. É possível que a deficiência da saúde pública, um dia, me leve à morte. Por isso, te peço que te preocupes com as nossas crianças, que precisam de escolas e espaços de lazer. Fica a saber que as crianças sem escola, no futuro, serão homens e mulheres deliberadass, mulheres prostitutas ou trabalhadores com vínculos laborais precários e, por isso, a mercê da exploração de empreendedores ou patrões aproveitadores.

Amigo João Pinto, termino, aconselhado-te a não te esqueceres das palavras de António Agostinho Neto, segundo as quais “Estudar é um dever revolucionário”. Mas eu digo “Estudar é um direito e um dever patriótico”.
———————————————————-
*O antigo deputado, David Mendes, nas vestes de comentador da TV Zimbo, muitas vezes, elogiou a tua qualidade de deputado.” Eu também te elogio, enquanto deputado, conquanto, algumas vezes, ficasse agastado com as tuas intervenções públicas.