Luanda - As redes sociais, uma plataforma omnipresente de comunicação e auto expressão no cenário contemporâneo, atraíram indivíduos de diversas origens. Plataformas como Facebook, Instagram e Twitter transformaram-se em praças virtuais, onde os usuários compartilham livremente os seus pensamentos, emoções e experiências de vida com a comunidade global.

Fonte: JA

Entre esses habitantes digitais estão os influenciadores de mídia social, indivíduos que cultivaram seguidores substanciais e exercem influência considerável sobre o seu público. Embora eu reconheça a popularidade de figuras como Juddy da Conceição, acredito firmemente que fama e influência exigem um senso elevado de responsabilidade e integridade.


Tradicionalmente, a família tem sido o pilar da sociedade, moldando valores e orientando a conduta individual. O respeito e a honra aos pais estavam profundamente arraigados, reflectindo uma apreciação por seus sacrifícios e apoio inabalável. Defender e apoiar publicamente a família era considerado uma prova do carácter e da educação de cada um. No entanto, os valores sociais sofreram uma metamorfose e a privacidade tornou-se uma mercadoria cada vez mais escassa. Vidas agora são expostas no altar digital, com pouco a esconder do escrutínio público. Até mesmo a santidade do casamento foi corroída, pois os relacionamentos privados estão cada vez mais expostos ao brilho dos olhos do público. Embora essa abertura possa oferecer certos benefícios, como deter comportamentos negativos como abuso infantil e violência de género, também contribuiu para a erosão dos valores tradicionais.

A cultura ocidental desempenhou um papel significativo nesta mudança de paradigma. Em países como os Estados Unidos, culpar a educação e a origem de cada um por deficiências pessoais se tornou comum. Criticar publicamente os pais e exagerar experiências negativas para obter atenção e simpatia são agora comportamentos socialmente aceitáveis. Infelizmente, essa tendência transcende fronteiras, infiltrando-se em Angola, onde influenciadores de mídia social como Juddy da Conceição desafiam as noções profundamente enraizadas do respeito familiar. Em entrevista, ela pinta um quadro sombrio do seu pai como um pai falho e retrata a sua família como tendo sofrido grandes dificuldades.

No entanto, a gravação do seu pai apresenta uma narrativa fortemente contrastante, afirmando que ela nunca passou por pobreza e foi adequadamente provida ao longo da sua vida. Ele expressa profunda decepção com o retrato negativo da filha para com a família. Esse desacordo público levanta preocupações sobre a autenticidade e integridade dos influenciadores de mídia social. O público deposita confiança nesses indivíduos, esperando que sejam genuínos e verdadeiros nos seus conteúdos. Eles dependem dos influenciadores para fornecer experiências e perspectivas relacionáveis que os ajudem a navegar em suas próprias vidas. Quando os influenciadores digitais fabricam o seu passado ou deturpam a sua educação, eles violam essa confiança, diminuindo a sua credibilidade e prejudicando a integridade da comunidade de influenciadores.

Em Angola, o conservadorismo permanece uma forte corrente subjacente, principalmente entre a geração mais jovem. Muitos jovens angolanos consideram inaceitável que indivíduos como Juddy da Conceição embelezem as suas dificuldades e pintem um quadro negativo das suas vidas quando ele se desvia da realidade. Eles defendem apreciar o que se tem e reconhecer os esforços que os seus pais fizeram, mesmo em circunstâncias desafiadoras. Essa valorização da família e o reconhecimento dos sacrifícios dos pais desempenham um papel crucial na manutenção de fortes laços familiares e na promoção de uma sociedade coesa. O respeito aos pais se estende também ao respeito à própria história e raízes, obrigando os indivíduos a revisitar as suas comunidades rurais de origem e provocar mudanças positivas ou continuar o legado dos seus pais e sobrenome.

O conflito entre Juddy da Conceição e o pai lança luz sobre a dinâmica em evolução dentro das famílias e a erosão gradual dos valores tradicionais. Embora criticar e culpar publicamente os pais possa ser aceito em algumas partes do mundo, Angola permanece uma sociedade conservadora que mantém o respeito e a honra aos pais. A geração mais jovem, em particular, enfatiza a importância de apreciar o que se tem e reconhecer os esforços e sacrifícios de seus pais. À medida que as mídias sociais continuam a moldar os valores sociais, é imperativo que os influenciadores mantenham a autenticidade e a integridade, promovendo a confiança e o entendimento entre o deu público.

Ser um influenciador de mídia social exige imensa responsabilidade. A erosão dos valores tradicionais e a influência da cultura ocidental, sem dúvida, alteraram as expectativas sociais. No entanto, é essencial lembrar a importância duradoura da família.