Luanda - As relações entre Angola e os Estados Unidos conheceram hoje, 30/11 um notável impulso com a reunião entre o presidente dos EUA Joe Biden e o presidente angolano João Lourenço, na Sala Oval da Casa Branca, a residência oficial da presidência.

Fonte: Club-k.net

Observadores internacionais consideram que os dois países estão interessados num novo ciclo nas relações bilaterais. O presidente Biden considerou Angola um dos países mais importantes na sua política africana. Por seu lado, o líder angolano saudou o engajamento americano na nova parceria com o seu país, sobretudo na revitalização do projecto do Corredor do Lobito.


A política externa de um Estado é concebida como política pública, que deve corresponder aos anseios da sua população e a prossecução do interesse nacional.


Há cooperação entre os Estados quando os governantes concluem que existem interesses comuns.


Os princípios orientadores das relações internacionais entre os Estados são:
(i) independência nacional;
(ii) prevalência dos direitos humanos;
(iii) auto-determinação dos povos;
(iv) não-intervenção;
(v) igualdade entre os Estados;
(vi) defesa e promoção da paz;
(vii) solução pacífica dos conflitos;
(viii) repúdio ao terrorismo e ao racismo;


Continua válida a frase de lorde Palmerston, primeiro-ministro da rainha Vitória (de 1855 a 1858, e de 1859 a1865) se aplica provavelmente a poucas esferas como se aplica à política externa: “Eu não tenho amigos, eu não tenho inimigos, eu só tenho interesses”.


Sendo do interesse de Angola, saudamos o encontro entre os dois presidentes. A relação com os EUA representa que o país tem uma política direccionada para diversificação dos seus parceiros internacionais.