Lisboa - Uma versão considerada plausível sobre o caso do desaparecimento, 20.Mai, de um avião ligeiro Beachcraft-200, pertencente ao grupo empresarial angolano Chicoil, indica que o aparelho estava sendo usado numa missão secreta, do interesse do regime, levada a cabo em Ponta Negra, Rep do Congo – destino final do voo respectivo.


Fonte: África Monitor


 Aqui o aparelho terá sido sabotado, tendo sido essa a causa (efeitos supostamente retardados) da sua queda, já na viagem de regresso a Luanda. O aparelho fora alugado pelo mauritaniano, Rachid Mustapha, um homem de negócios estabelecido em Angola há c 10 anos (em 2007 foi candidato, derrotado, às eleições presidenciais no seu país).



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: