Esta hipótese, caso venha ser materializada será por força de uma lei aprovada pela maioria parlamentar do MPLA que exige dos partidos políticos apresentaram cerca de 15000 assinaturas  para círculo nacional e 500 em cada província  para concorrerem as eleições legislativas e garantir a sua personalidade legal ao que constitui uma inconstitucionalidade segundo os especialistas jurídicos  em Angola.

A semana passada  o antigo assessor do PR e novo Presidente do tribunal constitucional Rui Ferreira determinou que ate o próximo dia 7 do corrente mês os partidos políticos deverão apresentar e formalizar as suas candidaturas. Nas hostes da oposição o tempo apresentado pelo Presidente do TC é bastante curto para recolhe de assinaturas por todo pais e de 500 por cada província. A oposição considera ma fé das autoridades angolanas: "Quando perguntamos o que era necessário para apresentação das candidaturas o CNE e o tribunal supremo diziam desconhecer os requisitos para anexarmos  as assinaturas e agora o regime aparece a determinar um tempo bastante curto para apresentarmos as candidaturas". Disse uma fonte ligada a oposição.

Os partidos da oposição com destaque a Frente para Democracia enfrentam enormes problemas no cumprimento destes requisitos. Os seus militantes no interior do país tem sofrido intimidações. Um responsável deste partido em missão de recolha de assinaturas   na província do Kuando Kubango teve de abandonar a cidade de Menongue  na seqüência da Rádio Provincial que  fez um apelo ao povo, na manha desta segunda feira, para não subscreverem a lista de partidos da oposição.  Incidente semelhante aconteceu na província de Malanje onde um activista desta formação política viu o seu papel de assinaturas serem confiscados por agentes da polícia que a rasgaram segundo denuncia.

Portanto face ao quadro citado a cima observadores em Luanda conclui que esta formação política poderá ser banida do jogo se ate na próxima segunda feira não apresentar as assinaturas. Uma coligação  Tendência presidência que ira apoiar a reeleição do Presidente José Eduardo dos Santos nas eleições presidências de 2009 foi a primeira apresentar junto ao TC as assinaturas requeridas. O Secretario do MPLA Kuata Kuanua disse recentemente que o seu partido não ter problemas com a questão embora em inicio do ano ter advertido em entrevista a um jornal que muitos ficariam pelo caminho.

Fonte: Club-k.net



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: