Brasil - Mas um dos nossos se  foi, ou melhor descansou, e o que ficou dele, seu espírito e sua obra, estará por longos tempos ao lado daqueles que mais ele defendeu: os pobres e os humildes deste mundo.


Fonte: www.blogdonelodecarvalho.blogspot.com

Homens como Saramago não viajam no além

José Saramago, confesso  que li muito pouco da sua obra, mas o que se diz sobre o mesmo  é que é  o maior fenômeno cultural ou literário lusitano depois da  Revolução dos Cravos. Sem contar que é o único Nobel da literatura portuguesa até hoje. O último fenômeno pode tornar o mesmo na maior personalidade  lusitana dos últimos cem anos.


Para  a minha avô, que  traumatizada com o desaparecimento dos seres queridos na “guerra” de 1961 ( engolidos pelo fascismo colonial português), e que  erroneamente,  desconfiava dos “brancos” e dos portugueses tenho certeza  que este, mesmo sendo ateu, seria bem-vindo na nossa aldeia. A  “típica” aldeia africana, longe e isolada do mundo,  onde o homem branco  ao chegar é visto com desconfiança  e as crianças saem  em fuga precipitada.


Até os que  o odiavam seu atrevimento de ridicularizar a igreja, a bíblia e toda mistificação  religiosa e estúpida  -além da inveja-, não deixaram de admirá-lo. Inveja porque seus adversários lusitanos não excitavam  em dizer que o mesmo só ganhou o Premio Nobel por suas convicções   políticas como escritor. O que é uma tremenda mentira. Se assim fosse, dir-se-ia, então, que Saramago foi o único que ganhou tal premio  por ser comunista. O que é impossível e irreal, afinal, o que não falta na Academia Suécia e os júris do tal  premio  é agentes  da CIA infiltrados e anticomunistas.  Que o digam os intelectuais dos antigos países do Leste Europeu na era Soviética.  


Pode se  dizer  que em nossos dias, de tantas crenças, onde as verdades são desprezadas e  omitidas,  Saramago é o Homem que matou  deus( não está errado, é mesmo com letra minúscula) , literalmente. E não só pela sua falta de credibilidade, já que é nisso que reside sua existência, mas por este ser chato, mentiroso, desonesto  e parecido com o que há de mais ruim na espécie humana. Aquilo tudo que o mesmo prega e rejeita como  condição para estarmos bem e de agrado com ele. Ele, deus, é precisamente o inverso de tudo que exige de nós e demonstra ser!


O Homem, Saramago, declarou:   deus  é o lado mais ruim de nossa existência! E não se trata aqui de acreditar, como é necessário, para concluirmos que a existência deste ser é um fato.   Aqui  só precisamos não ser “cego” e  “ensaiarmos” todos os nossos sentidos para alcançarmos a verdade, e estar longe de todas as crenças. Que é a miséria que sustenta  todas as religiões que o dão suporte.


Como um artista, um escritor, e longe de ser um homem de ciência, mas fazendo o uso racional desta ( a filosofia), mostrou-nos  que precisamos ter cuidados com os nossos delírios e invenções. Porque elas, com certeza, podem ser, também,  a maior fonte de nossas infelicidades e desgraças. É só lermos e estudarmos um pouco da nossa história: a  história da espécie humana.  Onde nela encontramos a invenção da criatura deus.


Homens como Saramago não viajam no além, preferem estar entre seus  semelhantes e tentar sempre transformar a realidade contando com a capacidade criativa do próprio ser humano. Sua obra está destinada a isso: transformar a realidade, ajudando aqueles que mais precisam, mesmo quando acreditam que não precisam. Esses são: os enganados desse mundo, os explorados por todos  e qualquer motivos e os cegos.

 

Gloria eterna a esse Comunista!



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: