Luanda - A venda acontece numa altura em que a Galp se depara com grandes necessidades de financiamento na Namíbia, onde lidera um consórcio que verificou a existência de petróleo numa zona de concessão.

Fonte: Lusa

O Governo angolano autorizou a transferência total das ações da Galp Energia nos blocos 14 e 32 a favor da petrolífera angolana Somoil, ficando formalmente concluída a operação de venda das ações da petrolífera portuguesa.

A venda da participação da Galp à Somoil, por um valor de 830 milhões de dólares (771 milhões de euros ao câmbio atual) foi comunicada à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários, em fevereiro de 2023.


O contrato compreendia uma soma de 655 milhões de dólares (618 milhões de euros) a receber na conclusão do negócio e 175 milhões de dólares (162 milhões de euros) entre 2024 e 2025, mas dependentes do preço do petróleo.


No pacote de ativos vendidos a esta empresa angolana de capitais privados está a participação de 9% que a Galp tem no Bloco 14 (com vários campos em produção), bem como a posição de 4,5% no Bloco 14-K, a de 5% no Bloco 32, e ainda um projeto em fase de desenvolvimento.

O Ministério dos Recursos Minerais, Petróleo e Gás de Angola, em decretos executivos de 9 de maio a que a Lusa teve hoje acesso, autorizam a transferência na totalidade das ações da Galp Energia Overseas Block 14 B.V a favor da Somoil Block 14 II B.V, afiliada da Etu Energias, S.A, bem como a transferência total das ações da Galp Overseas Block 32 B.V a favor da Somoil Block 32 B.V.