Luanda - Mais de cinco mil fiéis afectos à Aliança Evangélica de Angola (AEA) participaram da campanha de doação de sangue (sexta e sábado), em oito unidades sanitárias da capital do país, no quadro da sua responsabilidade social.

Fonte: Club-K.net

Os dados foram avançados à imprensa na manhã de sábado, 25 de Maio, pelo secretário-geral da Aliança Evangélica de Angola, Alexandre Saul, que reafirmou que a acção solidária está igualmente enquadrada nas celebrações dos 50 anos de existência da AEA.

 

O secretário-geral da plataforma religiosa Aliança Evangélica de Angola, Alexandre Saúl, que controla 16 denominações religiosas, salientou a Igreja tem desenvolvido vários actos regulares de doação de sangue e da humanização dos serviços de saúde, isto no quadro da sua responsabilidade social e parceiro do Estado angolano.

 

Promovida pela AEA, em três dias, a campanha massiva de doação de sangue permitiu, de acordo com a organização, mobilizar mais de mil dadores, que foram distribuídos por oito unidades sanitárias, nomeadamente Instituto Hematológico, Maternidade Lucrécia Paim, Hospital Geral de Luanda, Hospital Pediátrico de Luanda “David Bernardino”, Hospital Municipal do Cacuaco, Complexo Hospitalar de Doenças Cardiopulmonares Cardeal Dom Alexandre do Nascimento, assim como o Instituto Nacional de Sangue (INS).

 

O acto foi testemunhado pela ministra da Saúde, Sílvia Lutukuta, em representação do Governo angolano. Na ocasião, a governante revelou que o país necessita de mais de 300 mil dadores de sangue voluntários fixos, no mínimo, o que segundo Lutukuta, representa 10% da população do país.

 

Ao discursar no acto de encerramento da campanha massiva, que decorreu de 23 a 25 deste mês, em Luanda, a ministra da Saúde recordou que, actualmente, o país conta apenas com 30 mil dadores, representando somente um por cento das necessidades actuais.

 

Segundo a Sílvia Lutukuta, o baixo número de dadores tem motivado as unidades hospitalares a recorrerem aos familiares dos pacientes para salvaguardar a vida de centenas de pessoas.

 

Em termos de reserva, a ministra da Saúde salientou que quase não existe um stock grande de sangue, porque o uso é permanente e diário.

 

Perante esse déficit, a titular da pasta do MINSAta reconheceu o papel que as Igrejas têm desempenhado na sensibilização e doação voluntária de sangue por parte dos seus fiéis, apelando ao contínuo gesto a nível nacional.

 

Por sua vez, a directora do Instituto Nacional de Sangue (INS), Deodete Machado, afirmou que, diariamente, a instituição precisa de até 350 unidades de sangue, a nível de Luanda.

 

Por isso, apelou para a necessidade de haver regularidade na doação, para que se minimize a carência de sangue nas unidades hospitalares.

 

Para além dessa campanha, Alexandre Saúl assegurou que o mesmo gesto vai ser levado à província de Benguela, nos próximos dias.