Luanda - Numa mesma semana, dois pesos pesados do MPLA revelaram visões completamente antagónicas sobre a situação do seu partido.

Fonte: Correio Angolense

Recentemente alcaçdo ao secretariado do Bureau Político, ocupando-se da Informação e Propaganda, Esteves Hilário descreveu um MPLA pujante, da base ao topo, um partido coeso, “com os seus órgãos a funcionar na plenitude”.


Veterano das lides do MPLA, de cujo Bureau Político foi membro durante muitos anos, Higino Carneiro descreve o momento actual do MPLA um como de muita fragilidade e nenhuma coesão.


As liderança do Partido terão sido tomadas por um profundo sentimento de vergonha quando o general, que se propõe à concorrer à presidência do MPLA revelou, com notável desassombro, que o CAP (Comité de Acção do Partido) de Talatona em três ocasiões consecutivas não conseguiu reunir o quórum mínimo para a realização da conferência de renovação de mandatos.

Posto isto, a inevitável pergunta: Esteves Hilário e Higino Carneiro falaram do mesmo MPLA?


Para Esteves Hilário, o MPLA que perde gás e terreno a olhos vistos em todo o território nacional é uma invenção dos seus detractores? Se assim é, como explica os últimos resultados eleitorais, sobretudo em Luanda, imprudentemente desvalorizados pelo presidente João Lourenço?


Jovem e com as necessárias energias para físicas para calcorrear o país e sentir-lhe a pulsação, algo que não é possível no conforto dos sete pisos do “Kremlin”, era suposto que o novel secretário de Propaganda do MPLA tivesse um retrato mais realista da situação do seu país.


Os grandes manuais definem a propaganda como estratégia para persuadir adversários. Quem se espatifa na sua própria propaganda não vai a lado algum.
Esteves Hilário precisa de apanhar mais sol e calor...