Luanda - Numa altura em que caminhamos à passos galopantes para o declinar do segundo mandato do Presidente João Lourenço é importante começar a fazer contas para se aferir entre os antigos e os novos oligarcas quem mais prejudicou o Estado angolano.

Fonte: Club-k.net

A pergunta que não se quer calar, entre os antigos e novos monopólios quem mais locupletou-se da rés pública?

 

O contexto exige um olhar atento ao novo papão das terras das Acácias Rubras, que de "carrinho" tem apenas o nome, porque um simples "carrinho" não tem capacidade de levar BCI, KEVE e outras valências.

 

Tendo em conta a ascensão a velocidade da luz do Grupo que também tem o monopólio da produção agrícola no país, já não pode ser visto apenas como um simples carrinho, mas sim como "Navio Cargueiro" ou ainda o "Icon of the Seas", considerado o maior navio de cruzeiros do mundo.

 

Um olhar atento as aquisições do Ministério do Transportes, dos autocarros milionários, aos edifícios de 114 milhões de dólares, o muro milionário no perímetro do Novo Aeroporto Internacional de Luanda (NAIL).

 

Os actos dos ditos Marimbondos foram "punidos" pelos Caranguejos. Entretanto, quem vai punir os actos dos Caranguejos e daqueles Marimbondos feitos Caranguejos, ou seja, os que participaram dos dois banquetes?

 

Compremos pipocamos para acompanhar o enredo, haverá sempre um vilão para entregar os outros.