Luanda -  Paulo Teixeira Jorge foi um humilde e eficiente colaborador para os mais variados assuntos do Presidente Agostinho Neto, destacando-se os internacionais. Era visto na floresta do Mayombe em Cabinda ou no Leste do país ao lado do Presidente Agostinho Neto ou percorrendo regiões do mundo explicando as razões da luta e razão de liberdade do povo angolano.


Fonte: JA


Deslocou-se a Cuba nos alvores da Revolução, quando era mais intensa a luta de classes. Foi o representante do MPLA perante a Organização de Solidariedade dos Povos de África, Ásia, América Latina (OSPAAAL). Conheceu Cuba e granjeou um lugar cimeiro no coração dos cubanos.


Andando pelos caminhos do mundo foi explicando a dor da sua Pátria, Angola, e conquistando com o seu fácil e certeiro verbo importantes vontades de apoio a causa justa e necessária. Conquistada a independência inicia a organização do Ministério das Relações Exteriores.


As suas primeiras tarefas são de procurar, ensinar e treinar quadros. Participa activamente na VI Cimeira do Movimento dos Países Não Alinhados, presidida pelo seu amigo Fidel Castro, e Paulo, de verbo fácil e convincente, se empenha a fundo perante um delegado com intervenção ofensiva contra Fidel, e lhe responde com palavras que atingem como dardos, e em perfeito francês o “malandro impertinente”. Foi uma resposta que motivou o Presidente da Assembleia a expressar: “Paulo, não sabia que você falava um francês “bárbaro”, termo que em castelhano cubano quer dizer “muito bom” e o interlocutor inicialmente se indigna ao interpretá-la em sentido contrário.


Conhecido internacionalmente como anti-imperialista, ganha fama nos encontros internacionais pela sua oratória de verbo fácil, polemista, de respostas hábeis e em perfeitas línguas - portuguesa, inglesa, espanhola ou francesa.


Respondia positivamente quando fosse necessária a sua presença. Assim o demonstrou quando com êxito governou as províncias do Kwanza-Norte e de Benguela.

 

Mais tarde como membro do Bureau Político do MPLA e Secretário para as Relações Exteriores fortaleceu as relações com partidos irmãos e podia ser visto com frequência a visitar Cuba, a terra onde são bem vindos todos os angolanos, sem importar a sua hierarquia. Paulo desloca-se a Cuba primeiro com João Lourenço e depois com Dino Matross e foi recebido por todos os cubanos como mais um da família.


Como membro da Internacional Socialista, unificou todos os membros africanos e impediu moções contra-revolucionárias contra Cuba provenientes de delegados europeus.No pretérito dia 19 de Abril, o amigo Paulo Jorge foi condecorado pelo Conselho de Estado da República de Cuba com a Ordem da Solidariedade.


Este é Paulo Teixeira Jorge: patriota, internacionalista e amigo da Pátria de Martí. Este amigo querido a quem dedico estas palavras faleceu na madrugada de 27 de Junho, sem tempo de nos avisar.


*Político cubano e ex-Embaixador de Cuba em Angola



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: