Berlim - Sou daquelas que acredita que na luta pela defesa da manutencao dos valores morais. Não nos podemos resígnar nunca, jamais! É mesmo por esta razão que não concordo com aqueles compatriotas(homens e mulheres) que pregam que a moral e os bons costumes já não existem na nossa sociedade, e que, por isso, devemos aceitar e encarar tudo como " normal", desejavel ou aceitavel. Mas as coisas não são assim.


Fonte: Club-k.net


Tá certo que vivemos num tempo de crise de valores; em que o certo se confunde com o errado e o errado com o certo; a luz com a escuridão e a escuridão com a luz; o bem com o mal e o mal com o bem. Mas sinceramente, no meio disso tudo existe ainda aquilo que se chama respeito e bom senso. O compatriota Hamilton Ferreira no seu artigo de opinião assinado com o titulo "Para os falsos moralistas que criticam a Tatiana Durão" e publicado no club-k.net, penso que foi muito infeliz por, preferír resignar-se e defender praticas pouco edificantes do ponto de vista ético, apoiando-se em argumentos pouco sólidos. O mais absurdo no seu artigo, é o facto do mesmo passar a ideia de que, todos nós estamos errados por condenar algo que até ele mesmo acha errado(pasmem-se!), achando que estamos errados porque todos cometemos o mesmo "erro". E a que " erro" ele se refere? Ao sexo! 

 

Bem, para ser sincera, nesta materia (sexo) não sou e nem nunca fui muito boa, mas tanto quanto sei sobre o assunto, sexo não é algo que deve ser feito ao vivo, aos olhos de toda a gente, incluíndo dos própios pais, da própia familia. Esta é só a minha opinião, mas consola-me saber que é a opinião da maioría. Verdade ou mentira amigos? 

 

Sim, todo mundo faz sexo Hamilton. Mas sexo é algo íntimo, privado, não é verdade? É certo que cada um sabe de si. É certo que a Tatiana não é a única que expõe a sua sexualidade ao público. Mas também é certo que não são todas que o fazem, representando Angola num evento como esse aí, o tal Big Brother. Porque as que se expõem ao sexo publicamente representando a sí mesmas, expoem apenas a sí mesmas, ao ridiculo. Mas as que o fazem representando Angola( e a Tatiana entrou no referido evento como "a Candidata angolana") acabam expondo Angola, perante ao continente e ao mundo, ao ridiculo. Verdade ou mentira? Na realidade o que acaba por ficar manchada é a imagem da mulher angolana. E não me venham com balelas do tipo: ah, ela está lá a representar ela mesma e bla bla bla. Isso é conversa, porque neste evento, ninguem é representante de sí mesmo, mas sim dos seus respectivos países, apesar da "massa" ser só para eles mesmos!  De acordo? Agora, é claro que cada um sabe de sí. Quem quiser partilhar a sua privacidade com todo continente, okay por mim tá fine. Os meus vizinhos, primos e irmãos estão a espera, com bastante ansiedade, das cenas do proximo capítulo. Mas, acarinhar ou defender, seja lá com que argumentos forem, estes tipos de comportamentos só porque " supostamente" na nossa sociedade já não existe moral, ou todos são imorais, come on...isso nem faz sentido!

 

Ver pessoas semi-nuas no carnaval, ou usando topless na praia ou na piscina, ou ver pessoas vestidas de maneira exageradamente sexy na rua não é a mesma coisa que fazer sexo diante de um écran de TV e representando o nosso país. Isso acaba por ofender-nos enquanto angolanos. E dizer isso, não é ser falsa moralista. Não sou santa. Ninguém é. Mas, acredito no respeito e no bom senso, que no contexto deste artigo significa o seguínte: 

 

Se tu quiseres ser respeitada, respeite aos outros também. E eu, apesar de não ser santa, sei que se amanhã for para um concurso qualquer representando Angola, e expor a minha nudez ou a minha sexualidade diante das camaras, acabará por ser um comportamente que vai ferír sensibilidades, vai ofender gente, comecando é claro, pela minha familia e pelos meus amigos. Com que conssequências? 

 

Uma delas sería sem dúvida, que as pessoas deixaríam de respeitar-me. Já não me veríam como uma pessoa séria. Os homens já nem me olharíam como mulher, e as mulheres não me veríam como alguém que quisessem ter no seu círculo de amizades. E o respeito é algo que devemos procurar manter por toda a vida. Pelo menos eu penso assim. Agora, acho feio que o Hamilton surja com um artigo de opinião tão ridiculo, procurar defender a Tatiana das ofensas e comentarios negativos que o seu própio comportamento consciênte provoca. 


Ora, porquê que eu considero a opinião do Hamilton, ridicula?


Porque o Hamilton acredita que a Tatiana esteja a defender alguma causa. Mas vejam só. Que causa é esta então? O Hamilton escreveu e transcrevo:


"Apoio a causa de Tatiana Durão ela é muito mulher ela faz o que bem acha para ela e não para as pessoas  cada um de vocês é dono do seu próprio nariz,  são  vocês vivem criticando ela mais acorda cedo para ver ela tomando banho nua,  vocês que estão criticando são os mesmo que vivem transando nos carros,  e namorando com as miúda de 15  e 16 anos as tais chamadas de catorzinhas." Fim de citacao.

 

Se a causa da Tatiana é defender o "Live SEX" e o Hamilton apoia, problema deles. Agora, será que só porque muitos fazem sexo nos carros, transam com garotinhas de 14, 15 anos, ou só porque alguns gostaríam de ver a Tatiana a tomar banho, significa que devemos todos encarar estes comportamentos como normais e não criticarmos mais, cruzarmos os bracos e saudarmos o que é errado em detrimento dos bons valores, daquilo que é certo?

 

O que completa o meu argumento, é o facto de, qualquer homem que apoia o comportamento imprópio da Tatiana, não plaudíria o mesmo se fosse a sua a irmã a se expor da mesma maneira. Se existem falsos moralístas, são sem dúvidas estes!



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: