BRASÍLIA - Com a ajuda do Itamaraty, a família do empresário brasileiro Enézio Alves Rosa o localizou em Luanda, detido numa delegacia no Bairro Popular. O jornalista Rogério Tadeu Silva, genro de Enézio e que vive em Angola, informou que o empresário na manhã desta segunda-feira no aeroporto de Luanda, quando embarcava para o Brasil.


Fonte: Globo


Segundo Rogério, policiais argumentaram que havia uma ordem de prisão contra Enézimo, que foi acusado pela angolana Zélia Ondina de ter falsificado documentos para abrir sua empresa, a construtora Tecnic Energy, sete anos atrás. O jornalista afirmou que Enézio, nem ninguém da família ou advogados da empresa, tinham conhecimento dessa ação e negam qualquer irregularidade no processo de abertura da empresa. Rogério afirmou que Enézio nunca recebeu sequer qualquer intimação para comparecer a audiência. No processo, Zélia diz que a empresa seria de sua propriedade, e não de Enézio. Rogério afirmou que Zélia era uma antiga amiga da família.


- Hoje mesmo os advogados levaram todos os documentos, mas, por causa do horário (são quatro horas a mais em relação ao horário de Brasília) o encontro com o procurador do caso ficou para amanhã. É uma história descabida. Ele está preso numa cela com sete presos comuns. Estamos indignados, a denúncia não se sustenta - contou Rogério ao GLOBO.


Apesar da prisão, Rogério assegura que não há condenação contra Enézio. O mandado contra o empresário foi despachado pelo Departamento Nacional de Investigação Criminal.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: