Luanda – O julgamento em que o jornalista, publicitário e docente unioversitário deveria responder por crime de difamação, injúria e abuso de imprensa, acção movida pela pastora da Igreja universal do Reino de Deus (IURD), a brasileira Raquel Reis marcado para a passada Sexta Feira 28 de Julho no Tribunal Provincial de Luanda (TPL) foi adiado para data ainda não marcada.


Fonte: Ecclésia/Club-K.net

Em entrevista ao programa “Primeira Página” de Sábado à noite na Rádio Eccésia, Celso Malavoloneke, que é um seus convidados habituais (intervêm todos os últimos Sábados do mês) explicou que tinha havido uma mudança de juízes, o que pressupunha que o novo magistrado precisava de tempo para familiarizar-se com o processo antes de marcar uma outra data.

 

“Enquanto cidadão comprometido com o desenvolvimento desta Nação, direi a quem me quiser ouvir que uma instituição religiosa que propague que a epidemia do SIDA combate-se através do uso da camisinha, estará a mentir. Foi assim no Brasil, foi assim no Uganda e foi assim em todos os países onde a epidemia foi controlada. Ela foi-o através da moralização da sociedade e do instilamento de regras de sexualidade responsável sobretudo nos jovens. Por isso usa-se a tripla abordagem (abstinência, fidelidade e uso da camisinha. O resto é propaganda falaciosa de quem usa a religião para fins inconfessos” – referiu na altura.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: