A oposição, irritada pelos atrasos das autoridades na publicação dos resultados das eleições presidenciais de 29 de Março último, convocou uma greve geral ilimitada a partir de terça-feira passada para obrigar os responsáveis eleitorais a anunciar o desfecho do escrutínio.

O primeiro dia da greve foi marcado por vários incidentes violentos em Harare, a capital, onde a Polícia indica que vários autocarros e outros veículos automóveis foram incendiados ou apedrejados.

Os jovens militantes da oposição bloquearam as estradas em vários subúrbios e proibiram os autocarros e outras viaturas de transportar as pessoas para o trabalho mas,ao longo do dia, a maior parte dos gabinetes, estabelecimentos comerciais e bancos estavam abertos.

"Um autocarro foi incendiado terça-feira na rotunda de Warren Park. Um dos assaltantes do autocarro introduziu um pneu em chamas no autocarro que inflamou", declarou a Polícia numa nota acrescentando que em St Mary's, Mbare, Kuwadzana e Westgate (bairros de Harare) teria havido bloqueios rodoviários ilegais.

De acordo com a Polícia, vários veículos, incluindo autocarros pertencentes ao Estado, foram queimados por jovens apoiantes da oposição, e que mais de 30 pessoas, essencialmente jovens, foram detidas em todo o país nos actos de violência ligados à greve.

Quarta-feira, testemunhas oculares contaram que alguns jovens bloquearam ainda as ruas de alguns bairros de Harare, provocando imediatamente confrontos com a Polícia.

A situação está calma, mas a Polícia patrulha as ruas da capital para prevenir novos actos de violência.

A oposição, que proclama a sua vitória nas eleições, suspeita que as autoridades estejam a atrasar deliberadamente a publicação dos resultados a fim de as falsificar.

A Comissão Nacional Eleitoral indicou que continuava a fazer a contagem e a verificação dos boletins de votos.

Fonte: Pana



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: