No www.a-Patria.net, estamos contra o encerramento por 180 dias da rádio DESPERTAR, uma rádio colada ao partido UNITA. Não porque estamos aqui para defender a ilegalidade, mas porque queremos evitar que isso seja um pretesto para eventos futuros de indisciplina e desacato a ordem, nessa fase eleitoral e de iniciação democrática.

Não é muito menos, porque temos medo da arrogancia e a preopotência que caracteriza a esse bando de indisciplinados. Pensamos que existem no enquadramento jurídico nacional outras formas de punição a quem prevárica ou viola as leis do país, neste caso a lei de imprensa.

Estamos numa fase crucial e julgamos que qualquer mal entendido pode levar aos extremos, os responsáveis do instituto nacional de telecomunicações pensamos que deveriam pautar por uma pena mais leve em nome da paz e da liberdade de expressão. Porque assim dá-me a entender que este instituto esta fazendo o jogo de alguém, apesar de quererem fazer cumprir o estipulado na lei.

Com a morte do guerrilheiro mor, o povo genuíno de Angola alcançou a paz que pensamos ter vindo para ficar. Apesar de muitos quererem nos dizer ao contrário. Isso permitiu que pudéssemos andar pelo país de norte ao sul e do leste ao mar, e isso temos feito para desfrutarmos desta liberdade. O que nos levou esta introdução é só para dizer aos caros leitores que em algumas localidades das províncias de Malange, Uige e Kuanza-norte, e Zaire, ouvíamos com muita nitidez os programas desta radio. Não foi nada porque as ondas foram levadas ao caso (impossível) mais sim tratou-se de algo direccionado, também não porque só se sintonizava esta radio nos relevos, mais sim em qualquer ponto onde estivéssemos, e a qualquer velocidade, ouvia-se perfeitamente. Isso demonstra o desacato por parte da direcção desta emissora das leis nacionais. Mais como toda gente de boa-fé sabe muito bem que é apanágio do partido Unita desafiar as autoridades para provocar casos. Porque nesta luta para se ganhar a confiança popular tudo vale. Haver vamos.

O INACOM deveria convidar os responsáveis desta emissora a se deslocarem para os locais fora de cobertura de que é permitido o sinal para aí in loco se confrontar os factos. E pensamos também que deveriam também constituir uma comissão de peritos para uma averiguação dos equipamentos e emissores desta estação.

Pensamos que fez a direcção da Unita bem em convocar uma reunião do mecanismo bilateral para de uma vez por todas se pôr cobro a estas situações. Aí lhes serão apresentadas provas da sua insubordinação, mas não terá o mesmo impacto, caso fossem levados ao terreno e lhes fazer ouvir como nós ouvimos. Assim, já os equipamentos que constituem a prova material da violação a lei foram removidos há bastante tempo, uma vez que com o avanço da tecnologia os equipamento do género são facilmente deslocados de um sitio para outro numa fracção de segundos.

Mesmo mediante estes factos não se justifica o encerramento da estação dos maninhos. Estamos contra a este procedimento, a lei deve ser aplicada, mais em nome da estabilidade nacional deveria se condescender, aqui estamos a falar dos valores da paz que é o bem mais precioso que uma nação pode usufruir. 

Os Angolanos devem estar vigilantes, porque é mais que sabido que o partido Unita como já foi dito mais a cima é especialistas em forjar casos é só lembrar situações passadas. Neste momento em que todos estamos engajados na preparação das eleições devemos reforçar a guarda para que ninguém seja lá quem for MPLA, UNITA, PAJOCA, FNLA, PRS não vem com situações que manchem este processo que os verdadeiros Angolanos a tanto tempo almejam. Não vamos

O que quê falta para que as rádios privadas sejam autorizadas e possam assim ter um alcance nacional?  

Mesmo sendo contra a punição dura à que a emissora DESPERTAR  será vítima estamos aqui para alertar aos possíveis fatos  e casos que poderam surgir. Como  consequência das provocações  que os dirigentes da UNITA têm como pacote para desencadeiar  e fazer  com que o processo eleitoral seja um fracasso aos olhos de qualquer observador. Queremos dizer que a essa gente não se lhe podem dar méritos de confiança. E que todo ato de juízo, razão e consciência vindo das autoridades governamental é necessário e fundamental para que se neutralizem e se desmascarem atitudes que levem a provocação, gerando assim a desordem. 

E que fique bem claro, a tolerância ao infantilismo e a todo tipo de criancisse não pode ser interpretado como medo das autoridades em fazer valer a lei. Ao contrário, caracteriza o respeito e a consideração a esse grande povo, que no fim é sempre  a maior vítima das inrresponssabilidade dos dirigentes do Galo Negro.

* Nelo de Carvalho & Dino Cassulo
www.a-patria.net    



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: