Lisboa - Notadas em José  Eduardo dos Santos  comedimentos que o impõem  a abrandar a figura do general Manuel Hélder  Vieira Dias “Kopelipa” no papel de   “pombo correio” quando pretende se comunicar com altos funcionários do   aparelho de  “Inteligência” e exercito.

 

Fonte: Club-k.net

 Abrandamento do general

Até pouco tempo, quando o estadista angolano  desejasse comunicar-se com a direcção do Serviço de Inteligência Externa ou  das FAA,  transmitia a mensagem ao general “Kopelipa” e este por sua vez  passava  o recado aos dirigentes dos referidos organismos. Por exemplo: A 4 de Abril, JES tinha “Kopelipa” ao seu lado e orientou-lhe que telefonasse para a chefia o Chefe do  SIE, para que este  providenciarem um avião para ir buscar  o Presidente Malam Bacai da Guiné -Bissau.

 

O ponto notável  da mudança de cenário foi observado, antes do dia 15 de Agosto. JES programou uma ida a Brazzaville para assistir as festividades dos 50 anos de independência daquele país e  dispensou  o general “Kopelipa” para lhe fazer a ligação com o DG do SIE, Oliveira Sango. Optou ele próprio  por convocar  o chefe do SIE   para o acompanhar  naquele  país. (José Filipe, do cerimonial da PR  também fez  parte da viagem  com direito a sentar na tribuna  onde estavam os chefes de Estado).

 

Corre  que a nova preferência de JES, em ser ele próprio a comunicar-se directamente com a  direcção do SIE  tem causado “ciúmes” ao Ministro de Estado,  “Kopelipa”.

 

O general “Kopelipa” é visto como um dos principais conselheiros do PR em matéria de segurança. A quando a queda do general Miala passou  ele a dirigir interinamente o Serviço de Inteligência Externa. Logo após a nomeação de uma nova direcção no SIE, estes passaram a reportar ao mesmo.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: