Lisboa - Um jornalista da TV Zimbo que se destaca com “reportagens interessantes” foi baelado por desconhecidos na madrugada de terça-feira quando saia do serviço  a  caminho de casa. O profissional que atende pelo nome de Norberto Abias Sateko foi atingido com um tiro na perna esquerda.


Fonte: Club-k.net

Algozes  usavam uniforme das FAA

A vitima que se encontra hospitalizado na clinica  multiperfil na zona do benfica, em Luanda ,  reconheceu que os seus algozes estaria fardado com uniforme semelhante ao das Forças Armadas  Angolanas (FAA) e  faziam-se transportar numa viatura Toyota Starlet.

 

De recordar que o incidente acontece duas semanas depois de um jornalista da Radio Despertar, Alberto  Chakussanga ter sido assassinado em sua casa levando com que o Comité de Protecção dos Jornalistas africanos e a organização Repórteres Sem Fronteira exigissem das autoridades angolanas explicações a cerca da iliminação fisica do profissional.

 

O assunto ainda não foi objecto de informação nos órgãos de comunicação ligados ao governo, mas entretanto  há informação descrevendo que a classe de jornalistas em Angola se encontra em estado de inquietação procurando perceber o que se esta a passar.

 

De acordo com antecedentes públicos, as autoridades não prestam esclarecimento a cerca dos assassinatos a jornalistas. O primeiro teria sido Ricardo de Mello no inicio da década de noventa. Na altura os Bispos da Igreja Católica tentaram pressionar  ao governo para esclarecer o assunto mas sem sucesso. Na época  um alto funcionário da Presidência Angolana teria  contactado o cardeal Alexandre do Nascimento para lhe transmitir a titulo privado de que o referido jornalista fazia parte do aparato de segurança e que teria entrado em transgressão resultando no que ocorrera. Desde então, o Cardeal angolano passou a fazer oposição a corrente da Igreja que levantava o assunto.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: