Bruxelas - Prostituição, considerada por muitos como vida facil ou a profisão mais antiga do mundo. Tal como ja havia referênciado num artigo semelhante, discordo com tais considerações.


Fonte: Club-k.net

Uma véz que as prostitutas encaram esta via como o ultimo recurso para o sustento proprio e/ou familiar. São poucas ou ninguém assume publicamente como sendo prostituta, pelo contrário, ocultam e enfrentam este serviço de forma inconsciente, geralmente sub efeito de drogas.


A prostituição é a desvalorização e degradação da pessoa, a falta de auto-estima, amor e respeito ao seu corpo.


Embora que no sentido específico, a prostituição esta relacionada  como um acto feminino, mas no sentido amplo, abrange também o género masculino.


Se à difinirmos, como o acto de troca de favores sexuais por dinherio ou bens matérias, constataremos que esta acçao abrange os dois géneros, pois existem nos dias de hoje muitos homens que se prostituem. Mantendo uma relação amorosa, exporâdica ou mesmo conjugal onde o sentimento é trocado pelo dinheiro, bens materias, viagens, etc.

 

Na sociedade angolana particularmente, existe 2 ou mais escalões de prostitutas, isto é, as da beira da estrada, as de luxos, etc.

 

As prostitutas da beira da estrada são as mais faceis de identificar e localizar, alias elas estão exposta. Enquanto que as de luxo, passam por amante, ou namorada do ministro (ministro na difinição ampla de Uanhanga Xitu), que suportam todos os gastos e caprichos das mesmas.


Muitas das nossas prostitutas de luxo estão expostas ao ridiculo, ora porque nao podem aparecer publicamente com o madié, ou porque fisicamente o madié é "malaique", ou mesmo a diferença de  idade atrapalha.


Os graves problemas sociais que o país enfrenta esta na origem significativa deste tipo de situação, rumo a perpetuar-se na nossa sociedade. Pois, as prostitutas de luxo vém-se aumentando aceleradamente.

 

Contrariamente da prostituição praticada em  outros tempos, sobretudo nos anos 80 e 90, onde elas expunham-se nas ruas ou em casas dividamente identificadas, como a da mãe Fina no bairro operário, hoje elas prostituem-se de forma diferente, classica.

 

Actualmente muitas mulhres têm o namorado ou parceiro como o meio de sustento. Não se importa de ter vários namorados ( o gastosos e gostosos). Outras preferem não assumir namoro, apenas curtir, onde ninguém deve explicações a ninguém.

 

Muitas mulheres, até mesmo casadas exigem dos seus parceiros certos bens ou dinheiro e quando os tais brindes começam a falhar ela impõe um bloqueio sexual, ou mesmo a relação acaba, nos casados é o chamado divorcio.
 


Em muitas relações existem mesadas estipuladas, bem como outras dispesas; pagar o colégio ou a faculdade, o salão de beleza, a casa, o carro, etc.           

 

Nas relações amorosas o poder da palavra deixou de existir, substituido pelo poder dos bens e dinheiro ou outras regálias. Até por um saldo ao telemovel, ela pode ser sua.

 

Várias funcionárias bancárias, particularmente de bancos privados, para serem admitidas tiveram que passar em vivendas ou apartamentos para cenas de sexo. Casos destes foram denúciados na internet e não judicialmente, talvéz por vergonha das pessoas directamente lesadas e tudo ficou pelo boato.


A prima por ser amante do ministro, entoou vaidosamente em bom som, num almoço familiar, declarando ser uma mulher de sorte, porque desta relação ganhou varios presentes, carro, apartamento, viagens, etc. Hoje vive o drama por ter contraído o virus da sida. Será mesmo mulher de sorte?


O fenómeno cartozinha, que expandiu-se na década de 90 , foi uma triste realidade. Embora despreocupante para muitos, que até no programa do Quintas era abordado em forma de divulgação, espansão e promoção em véz de repúdiar, protestar e denúciar.


O amor nao tém idade, quanto mais fronteira. Acredito que no amor não há fronteiras, mas no caso da idade, por que geralmente nestas relações se a mulher for mais jovem é porque o homem é rico ou vice-verça?

 

As instituições tais como o ministério da juventude e desporto, do trabalho e segurança social,da saúde, da familia e promoção da mulher, rádio e televisão, orgãos judicias, etc., que de forma directa ou indirecta estão vinculados com o problema, devem réalizar um trabalho profundo de informação, sensiblização, educação, formação, etc. no seio das familias e da sociedade no geral, procurarando educar e oucupar as pessoas de forma positiva, pois a saúde de um país depende muito da forma como as suas instituições funcionam.

 

É necessário resgatar os valores morais como afirmou o presidente da república, porém muito tem que ser feito, como o cumprimento das leis e normais legais do país por todo cidadão, divisão equitativa das riquezas do país, mais salas de aula, habitação, hospitais, centros de formação tecnico-proficional, inclusão social do individuo independentemente da sua filiação partidária, réligiosa ou origem ectinica, etc. resumidamente, resolver os problemas do povo, pois, onde há dificuldades os valores morais perdem-se.
 

Na Conferência Mundial de Coligação contra o Tráfico de Mulheres que aconteceu em Dhaka, Bangladesh, em janeiro de l999, se elegeu o 23 de setembro como Dia Internacional contra a Exploração Sexual e o Tráfico de Mulheres e Meninas e Meninos, em homenagem a lei nº 9.143 do ano de 1913, promulgada nesta data e conhecida pelo nome de Lei Palacios.               


Foi a primeira com essas características no mundo. A Lei punia de 3 a 6 anos de prisão quem promovesse ou facilitasse a prostituição ou corrupção de menores de idade ao menos mediante consentimento, ou de maiores de idade em caso de violência ou intimidação.

 

Porém, o mal pode não estar na prostituta, talvéz naquele que procura os seus serviços, pois se ela existe é porque alguém paga.