Lisboa - Os censores de serviço do Semanário Angolense removeram na edição 390 da referida publicação, um texto de opinião de  autoria da acadêmica Inocência da Mata por alegadamente esta fazer referencias negativas a Constancia Mangue de Obiang,  esposa do  presidente ditador    da Guine Equatorial, Teodoro Nguema Obiang,  amigo pessoal do Presidente José Eduardo dos Santos.

 

Fonte: Club-k.net

Especialista adverte que não devem ser os donos do jornal a determinar o que é ou não publicável

São desconhecidas as razões que deixaram os “censores” ofendidos com o texto de Inocência da Mata. Suspeita-se que a censura tenha sido uma chamada de atenção para que no futuro a  acadêmica tenha consciência de que não deve  alastrar as  suas “referencias negativas” a outras   esposas de amigos do ditador,  Teodoro Nguema Obiang.

 

Entretanto, solicitado a comentar a censura, o acadêmico Will Bento Tonet, identifica violação de expressão da articulista Inocência da Mata.

 

De acordo com o  especialista “Não devem ser os donos do jornal a determinar o que é ou não publicável, mais sim a equipa jornalística que trabalha no  jornal. Outra compreensão importante, é que sendo um texto de opinião, desde que o mesmo não constitua ofensa, nem desrespeite as leis do país, ele deve ser publicado e engaja apenas a autora e não o jornal, porque o único texto de opinião que responsabiliza o jornal como um todo é o editorial.”


“Assim sendo, embora não considere violação da liberdade de imprensa, acho que este acto configura-se como uma clara violação da liberdade de expressão da autora e do direito de informação diversificada e contraditória do público leitor”, disse

 

“Tendo em consideração os últimos acontecimentos, acho que o Semanário Angolense, esta a viver não um processo de censura, mas de ditadura,  o que é mais grave e o CNCS, UJA, SJ e MCS deveriam desempenhar o seu real papel.” Sugeriu  Bento Tonet  formando em  comunicação social e mestrando em  Direcção de Marketing na Empresa, pela Universidade Politécnica de Madrid à distância.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: