Luanda - Foram postos a circular em Luanda rumores entendidos como “forcing” de uma  campanha de desinformação destinada a desacreditar o atentado contra o  radialista, da Ràdio Despertar, António Manuel “Jójó”, notabilizado pela condução do  programa “Django” de humor e  critica de intervenção social.


Fonte: Club-k.net

Humorista alvo de campanha de desinformação

No passado dia 25 de Outubro, uma corrente da policia nacional teria recuado em fazer uma conferencia de imprensa cujo o assunto seria esclarecer o atentado contra o radialista. No conteúdo da comunicação que previam passar ressalvava o  anuncio de que António Manuel “Jojó”, teria sido  esfaqueado por uma suposta amiga  “ciumenta”  com quem brigara.

 

A comunicação publica da policia nacional  não veio acontecer porque foram  alertados de  que se estava diante de  uma desinformação. De acordo com o que a policia apurou, o radiaslita teve de facto um desentendimento com uma suposta amiga  na Quinta feira, dia 21. O atentado contra o mesmo ocorreu dia 22, numa sexta feira em Viana. A policia, entretanto descartou a “falsa” versão tendo chegado a conclusão que  “Jojó” teria sido mesmo atacado por quatro elementos desconhecidos que estão a ser procurados.

 

Admiti-se que caso   “Jojó” tivesse brigado com a  suposta amiga no dia  22 de Outubro, a policia angolana  avançaria com a conferencia de imprensa  dizendo  que o  incidente que resultou no esfaqueamento do humorista da Rádio  Despertar  foi perpetrado pela sua amiga.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: