Lisboa –  Por uma  inexatidão involuntária é ressalvado que  o  texto de opinião da acadêmica Inocência da Mata removido pelo censor dos novos donos do Semanário Angolense refere-se a uma referencia negativa ao  ditador    da Guine Equatorial, Teodoro Nguema Obiang,  e não a sua esposa Constancia Mangue de Obiang.


Fonte: Club-k.net


Inocência da Mata , a professora da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa critica o Prémio UNESCO-Obiang Nguema Mbasogo para a pesquisa na área das Ciências da Vida, questionando que: “Como pode uma organização como as Nações Unidas ligar o seu nome a um governante que é ostensivamente um dos maiores ditadores (lembre-se que ainda em Agosto mandou executar quatro antigos colaboradores acusados de conspiração) africanos e um dos homens mais ricos do mundo (a revista Forbes coloca-o no 8º lugar) que governa um dos países mais pobres do mundo?”.


De referir que  Teodoro Nguema Obiang   é amigo  do Presidente José Eduardo dos Santos. Desconhece-se as razões  pela qual, os sensores do regime que compraram o Semanário Angolense  terão feito paralelismo para se sentirem feridos com as palavras da professora.


 O Comunicólogo Will Bento Tonet considera que a liberdade de expressão da acadêmica foi violada alegando que  “Não devem ser os donos do jornal a determinar o que é ou não publicável, mais sim a equipa jornalística que trabalha no  jornal”.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: