Lisboa - Tem fama arreigada de ser próximo ou amigo do PR, José Eduardo dos Santos (JES); mas também o proveito. Apresenta-se como general, mas o título corresponde a pouco na sua pessoa; é considerado um dos muitos “generais de ocasião” que se exibem em sítios certos, a horas certas, quase sempre com o fim de se promoverem socialmente.


Fonte: Africa Monitor


À amizade que consabidamente o liga a JES deve vantagens como o seu estatuto social e político, implantação no mundo dos negócios (imobiliário), neste caso envolvendo uma colectividade, Akwasambila, que agrupa os naturais do Sambizanga, e também o cargo público de administrador municipal do mesmo Sambizanga.

 

O Sambizanga é o bairro de Luanda onde JES nasceu; foi aí que a dada altura da sua infância conheceu o futuro “general de ocasião”, do qual se fez amigo para a vida. Como algo que afectuosamente considera parte das ruas raízes, o Sambizanga merece de JES atenções especiais em termos de promoção de progresso. Em troca parece esperar que a população do Sambizanga não só o veja como um dos seus como faça dele uma espécie de seu herói.

 

O general, supostamente movido pela ambição de também se tornar no dirigente municipal máximo do MPLA, acumulando assim, como voltou a ser norma, a administração do município com a sinecura partidária, anda por estes dias entregue a uma frenética actividade de saneamentos e conspirações contra os actuais dirigentes locais do partido. Quase ninguém foi poupado. O ónus redobrado que sobre ele vai recaindo (já era considerado impopular), provavelmente também não poupará JES.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: