Lisboa - Luiz Araújo, notabilizado activista dos direitos humanos em Angola amadurece a idéia da criação de uma “força de reivindicação” ao qual elegeria o nome de Movimento Popular Espontâneo para a Democracia (MPED). De acordo com a visão do mesmo, o MPED seria o oposto ao Movimento Espontâneo criado para apoiar o Presidente José Eduardo dos Santos.

 

Fonte: Club-k.net

Movimento dos sem terra

O MPED se definiria como um movimento apartidário-pacifista, de reivindicação de direitos e liberdades. Este movimento de massa seria  fazer protesto  contra a má governação e contra todos os actos de políticos e governantes predadores. Seria um “movimento dos sem água, movimento dos sem terra, movimento dos sem casa, movimento dos sem escola, movimento dos sem trabalho, movimento dos sem assistência médica”


A posição que   Luiz Araújo faz passar, em meios “on-line”  é de que “a constituição  angolana não proíbe nem o sonho nem a luta legitima por direitos e liberdades” razão pela qual elege como dois principais direitos, o de não ser pobre e o direito de não ser oprimido para impedimento da realização do bem estar.

 

Luiz Araújo é  uma das vozes que através da SOS-Habit de que é líder bate-se contra as demolições inapropriadas levadas a cabo pelo governo do MPLA. Ja foi citado pelos jornais privados  como sendo uma das personalidades que mais incomoda o regime do angolano. Na década de 70/80 foi torturado e preso pelo regime por envolvimento no movimento cívico fora das hostes do governo.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: