Lisboa - Um ambiente interno tenso tem vindo a instalar-se na AT-Angola Telecom desde a entrada em funções do novo CA, início de 2010. Os novos administradores aumentaram os seus vencimentos para quase o dobro (900.000 Kz, média actual).


Fonte: AM

Trabalhadores  não são aumentados há 7 anos

Os trabalhadores em geral não são aumentados há 7 anos, sendo as dificuldades por que passa a empresa a razão invocada para tal. Os novos administradores eram quase todos directores da empresa (vencimentos entre 230.000/480.000 Kz), funções no exercício das quais não gozavam, em geral, da simpatia dos trabalhadores – por diferentes razões. O novo PCA, Feliciano António (na foto), (1.237.000 Kz), é proveniente da Movicel.

 

A AT, empresa pública, operadora da rede fixa, está destinada a ser privatizada até 49%. É deficitária. A Movicel, sua subsidiária, lucrativa, foi privatizada em 80%. Os novos accionistas são companhias até então desconhecidas, Porturil, Modus, Ipang, Lambda e Novatel, que se supõe estarem de facto ligadas a figuras da elite político-económica, círculo presidencial em especial.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: