Luanda - Um mês depois de ter sido apeado compulsivamente do cargo de Comandante Provincial de Luanda da Policia Nacional e aguardar para responder em dois processos crime, Quim Ribeiro (QR) mantém ainda o controlo de algumas divisões, esquadras e postos policiais dos municípios do Kilamba Kiaxi e Samba.


* Paulo Lopes
Fonte: Club-k.net

 

Os oficiais da policia agastados com a governação de QR denunciam que este continua a manter encontros secretos com os respectivos comandantes e distintos oficiais de sua confiança nas suas propriedades em particular na sua quinta do Kikuxi, em Viana e na sua futura mansão no bairro Benfica, onde continua a baixar orientações que são fielmente cumpridas pelos responsáveis daquelas unidades policiais.

 


Do referido grupo, segundo a denuncia,  destaca-se o esquadrão da morte chefiado por Francisco Diogo t.c.p. FBI, Inspector Chefe, cuja missão é montar a estratégia de actuação castrense do comandante exonerado.

 


Recentemente, QR  foi citado em meios policias como estando a fazer  circular em Luanda a informação que teria sido alvo de um atentado,  quando na verdade, segundo contam “aproveitou da passagem coincidente de um inocente cidadão, no momento em que QR entrava na sua mansão no bairro Benfica, ordenando ao seu esquadrão a abrir fogo de metralhadora contra o referido cidadão que, para evitar o destino que teve “Joaozinho”, abandonou a viatura, segundo foi apurado.”

 


Segundo as fontes  “Uma semana depois do alegado incidente, QR na sua forte imaginação, na calada da noite, às 23h00, dirigiu-se ao CPL, que julga ainda ser Comandante, para proceder a entrega de uma máquina de filmar, que alega serem os instrumentos do atentado. Vê-se mesmo que o Comandante QR está atordoado e perdeu o norte.”

 


“Pretendemos alertar ao senhor Ministro do Interior, Sebastião Martins e o Comandante Geral, Ambrósio de Lemos, da necessidade urgente de se desmantelar o esquadrão de QR que o escolta nos seus movimentos, conduzindo três viaturas de elementos fortemente armados, por ser uma ameaça à segurança pública e comportamento similar ao dos barões do narcotráfico e mafiosos, assim como, apelamos o desmantelamento dos protegidos de QR que ainda são manipulados a seu mando para manchar a corporação.”, fim de citação.


*Paulo Lopes



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: