Luanda - Não me caiu lá tão bem, e tenho a certeza que a muitos compatriotas que acompanham o nosso MIREX de perto também não, o balanço e as ilações que o novo Ministro das Relações Exteriores de Angola terá feito do consulado de seu ex-Boss, Assunção dos Anjos.


Fonte: Club-k.net

Quão medíocre pode ser um intelectual ?

Mais Deselegante e sem qualquer sentido de colegialidade não poderia ser Chikoty, admirado e até mesmo venerado por alguns quantos que vêm nele a figura de Ministro ideal e carismático, superando homens de peso que por lá passaram e que não deveram nada a Chikoty, tais como os defuntos Paulo Teixeira Jorge, Venâncio de Moura ou mesmo Afonso Van- Dúnem Mbinda. É, no mínimo triste, o papel de Chikoty, simplesmente o mais antigo vice- Ministro das Relações Exteriores em vida, que desde o inicio da década dos 90 viu passar e trabalhou entre outros com João Bernardo de Miranda e ultimamente o seu agora arqui-rival Assunção dos Anjos.



Tudo indica que a montanha terá parido mesmo um ratinho, pois para alguém que foi vice-Ministro durante quase 2 décadas, esperava-se um pouco mais de sensibilidade, afinal o que terá feito o maninho, agora camarada Chikoty durante todos estes anos no MIREX? Terá sido apenas um mero observador desatento vendo passar navios á trás de navios? Esqueceu-se Chikoty que por falar fluentemente francês e inglês foi utilizado um sem fim de vezes como emissário e até mesmo representante do chefe de estado angolano em várias e importantes missões ao estrangeiro, com incidência á África Ocidental? Nas vestes de vice Ministro ou Secretario de Estado será que o intelectual Chikoty terá sido também um mero espectador sem qualquer poder de influenciar decisões? Se assim foi, então retirado te seja todo o mérito e venerção que te tem sido atribuído, pois o papel jogado até agora terá sido de um simples lacaio. Fosse no tempo o carismático Jonas Savimbi diríamos que: “ a ele não se lhe podia dizer nem aconselhar nada senão já eras…”. Será que no MIREX, desde o tempo que Chkoty entrou como vice também não se podia alertar aos Ministros de eventuais perigos ou deslizes em que estavam a evoluir por exemplo as transações ilícitas que culminaram no congelamento das nossas contas naquele país?




Como já alguém comentou, Chicoty, “demarcou-se completamente de tudo quanto, de menos airoso, terá sido feito no reinado de Assunção dos Anjos, evidenciando uma indisfarçável vontade não só para lavar as mãos como Pilatos, como na primeira oportunidade, proceder a um ajuste de contas”.  Será que com um inicio tão acrobático como o protagonizado por Chikoty, terá o seu recém iniciado consulado pernas para caminhar? Não creio, a menos que ele desconheça o poder penetrantes das intrigas e fofocas existentes no Ministério sob sua tutela.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: