Lisboa - O Presidente do Conselho de Administração  da Media Nova, João Van-Dunem deu por concluído o processo de reestruturação e redimensionamento empresarial daquela instituição privada tendo de imediato ou por  intermédio de uma funcionaria Kénia Sudão,  feito  anunciar,  a 5 de Janeiro  promoções/nomeações  internas feitas por si.


Fonte: Club-k.net

 

Luis Fernando que  fora  afastado de DG do Semanário O PAIS, na seqüência de uma pressão  do Procurador Geral da Republica,  João Maria de Sousa voltou a ser nomeado no mesmo cargo. Na mesma publicação foi igualmente nomeado um  sub-director,  José Kaliengue até pouco tempo editor de política.

 

O DG da TV Zimbo, Filipe Correria de Sá foi  reconduzido ao cargo acumulando com as funções de director de jornalismo e política editorial daquela estação privada de televisão. O jornalista Guilherme Galliano  mantêm no mesmo posto de director de programas acumulando com as novas funções de director de Antena da Media Nova.  Raúl Araujo, foi nomeado  director de Meios Técnicos e operacionais da TV Zimbo enquanto que Honório Vaz, o  Director de Markting.

 

Na Radio Mais,  foi reconduzido como DG, Carlos Mingas. O mesmo sucede com as  outras publicações como a Revista “EXAME” (Carlos Rosada de Carvalho), Semanário Econômico (Pedro Narciso). As referidas   publicações tem um  director executivo, Jaime Fidalgo.

 

Nos órgãos de direcção que tem João Van-Dunem  como único administrador  passa a ter os seguintes directores a saber:


Gloria Chaves – Secretaria Geral da Media Nova

João Van-Dunem  -  Director de jornalismo e política editorial

Filipe Correria de Sá –  Responsável  de publicação

Guilherme Galliano – Director de Antena

Kénia Sudão – Directora de recursos humanos

Sofia Costa – Directora comercial

Mauro Quartim – Director de tecnologia de informação

José Vieira – Presidente da Comissão Instaladora  da Academia de Formação da Media Nova

 

Os novos directores passarão a ter salários correspondentes aos cargos. Os que estão em regime de acumulação deverão beneficiar o reajuste de  25% de aumento.  Os mesmos foram já orientados a assinar um  contrato de trabalho a luz da lei geral do trabalho em vigor em Angola.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: