Lisboa – Estão previstas para breve  nomeações/promoções a nível das forças armadas angolanas baseadas no levantamento que o novo Chefe de Estado Maior General, Geraldo Sachipengo “Nunda” procedeu nas suas recentes deslocações aos  comandos regionais no interior do país e posteriormente remetidas ao comandante-em-chefe,  José Eduardo dos Santos.


Fonte: Club-k.net

Extinção do cargo de Vice-CEMGFAA  

De acordo com as estimativas, o general  Lúcio Gonçalves do Amaral, deverá ser promovido para o cargo de Chefe de Estado Maior do Exercito (CEME) em substituição de Barros Nguto recentemente nomeado   adjunto do Chefe de Estado Maior. Lucio Amaral é o  adjunto do CEME e comandante em exercício da primeira região Militar em Cabinda. Para o seu lugar  em Cabinda concorrem dois nomes  o do comandante da região militar norte- Uíge, general  João Gouveia de Sá Miranda  e o do comandante da primeira  divisão militar no enclave angolano, Tenente- general Eugenio Figueiredo.

 

Para a Região Militar Norte-Uíge aventa-se o nome do  general Jack Raúl, antigo  comandante da região militar em Cabinda afastado no seguimento do atentado da FLEC contra a selecção togolesa na realização do CAN Angola 2010. Outro nome sondado para a região em referencia  é o do general Simão Carlitos Wala. 

 

O antigo  chefe da inspeção do Serviço de Inteligência Militar (SIM), general João Pereira Massano afastado  por incompatibilidade com o chefe do SIM, general José Maria, poderá ser reabilito  e nomeado  para o cargo de  inspector-geral das Forças Armadas Angolanas, em substituição do  general Rafael Sapilinha “Sambalanga” que por sua vez passa  para a reforma.

 

Das propostas avançadas estima-se também  a  extinção   do cargo de Vice-CEMGFAA integrado por três área (administrativa, social e operativa), esta ultima  vaga  desde a saída do general   Salviano Sequeira “Kianda” que em Fevereiro de 2010  foi nomeado Vice-Ministro da Defesa para os Recursos Materiais e Infra- estruturas. Por efeito da extinção do posto, o Vice-CEMGFAA,   general Abreu Muengo “Kamorteiro”  deverá ser nomeado novo responsável da logística militar.


A chefia do  Estado Maior General ficará confinada ao general “Nunda” e a dois adjuntos, os generais Jorge Barros "Nguto" e António Egídio Sousa Santos “Disciplina”, que responde pela educação patriótica.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: