Luanda – O administrador executivo da Rádio Nacional de Angola (RNA), Eduardo Magalhães, defendeu quarta-feira, em Luanda, que os profissionais da comunicação social devem, durante os seus trabalhos de investigação jornalística, respeitar os princípios éticos para credibilização da profissão.


Fonte: Angop


Administrador Executivo da Rádio Nacional de Angola, Eduardo Magalhães Eduardo Magalhães fez esta afirmação ao dissertar sobre o tema “A problemática da investigação no jornalismo. A experiência angolana”, no seminário Internacional sobre Comunicação e Cidadania, no Cefojor, em Luanda.

 

Segundo o radialista da RNA, na instituição onde trabalha tem sido possível praticar um jornalismo de investigação, com responsabilidade e preenchendo a agenda comunicacional com causas e não com caos, baseados no respeito dos princípios ético-deontológicos.

 


Neste sentido, disse, a RNA, consciente da sua responsabilidade enquanto serviço público, está a organizar-se internamente e criou uma direcção de informação de especialidade que privilegia, planifica, organiza e faz a execução especial de jornalismo investigativo.

 

“A ideia é basicamente identificar, investigar e difundir o ineditismo e a profundidade dos conteúdos jornalísticos. Desta maneira, pretendemos inaugurar uma nova era ou um novo ciclo na política informativa da Rádio Nacional de Angola, com vista a dar cumprimento ao postulado constitucional que assegura o funcionamento de um serviço público de rádio independente e qualitativamente competitivo”, expressou.

 

Para Eduardo Magalhães, estes factores mostram uma clara aposta no jornalismo de investigação, no seu aperfeiçoamento e no estímulo permanente para a sua prática por parte dos profissionais da RNA.

 

“A problemática da investigação no jornalismo é um dos temas centrais do fenómeno comunicacional contemporâneo e essa observação é feita a partir do meu posto diário que é o rádio-jornalismo”, acrescentou.

 

Frisou que “em função da controvérsia que decorre do conceito e classificação das várias escolas de jornalismo mostro que o conceito alargado, que revela que todas as mensagens jornalísticas são produtos de um trabalho de investigação, mesmo a notícia mais simples implicam uma averiguação de dados”.

 

Sublinhou que a investigação jornalística implica a análise cuidada dos dados envolvidos e o cruzamento de informações para garantir credibilidade dos elementos fornecidos pelas fontes de informação.

 

O workshop, que decorreu durante dois dias, analisou a problemática da responsabilidade social e os limites que orientam a prática da comunicação social, a comunicação e cidadania, visando a salvaguarda dos direitos constitucionais dos cidadãos no âmbito da cultura da regulação, entre outros assuntos.


 

O seminário, que contou ainda com a participação de jornalistas da imprensa privada e representantes de partidos políticos da oposição, no âmbito do incentivo da iniciativa privada nacional no domínio da Comunicação Social, teve igualmente como prelectores profissionais da imprensa privada.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: