Lisboa - Joaquim Ribeiro, ex comandante da policia Nacional de Luanda nega em meios privados que tenha sido amigo da funcionária do BFA Eurídice Bernarda  Cândido que apareceu assassinada em Luanda na passada sexta feira a noite. A sua versão de não ter sido amigo de Eurídice Cândido da é subscrita por um parente da malograda.


Fonte: Club-k.net


O comissário da policia segundo atribuições  que lhe são feitas alega ainda que a malograda nunca foi sua gestora de contas. De acordo com os mesmos pareceres, Joaquim Ribeiro teve  um único contacto telefônico com a malograda  a pedido de José Maria dos Santos, ao tempo em que este era Vice-Governador do Kuando Kubango. O contacto visava ajudar a malograda que teria a sua viatura retomada pelos fiscais na via pública.  

 

O Assassinato da malograda tem sido investigado pela policia nacional que de acordo com dados estão numa fase "sem saber por onde começar". São apresentadas como principais suspeitas figuras que em discussões anteriores  teriam ameaçado de morte a malograda, tais como uma suposta ex- concubina do governador de Luanda, José Maria dos Santos. O dirigente tem se manifestado embaraçado com  a constante citação do seu nome tendo enveredado com iniciativas juntos aos jornais para evitar que se fala do assunto fazendo referencia a si.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: