Luanda - Mais de 40 detidos Activistas do Manifesto do Protectorado da Lunda Tchokwe, transferidos da cadeia do Conduege para o novo estabelecimento prisional da Kakanda na Lunda-Norte, iniciaram hoje uma greve de fome por tempo indeterminado, por violação continuada dos seus direitos a liberdade, uma vez que o crime contra a segurança do Estado a que foram acusados pelo artigo 26 da Lei 7/78, já foi revogado com a publicação do novo diploma no dia 3 de Dezembro de 2010 no Diário da Republica.

 

Fonte: protectoradodalunda.blogspot.com

 

A mesma greve de fome tem como objectivo, chamar atenção a Comunidade Nacional e Internacional, pelas injustiças continuadas contra as populações das Lundas, Kuando Kubango e Moxico.


Chamar atenção para que o Governo de Angola reconheça a Reivindicação pacifica e legitima a um mero Estatuto de Autonomia Administrativa e Financeira efectiva da Lunda Tchokwe.

 

A CMJSPLT pede a sociedade civil em geral, Jornalistas, ONGs e a Igreja Angolana em particular a levantar a sua voz, pelas consequências de saúde destes grevistas de fome, uma vez que este novo Estabelecimento Prisional de Kakanda não possui nenhum posto médico. Estamos em querer que as autoridades prisionais não vão levar o assunto de muito sério enquanto não houver doentes ou mortes.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: