Luanda - A empresa Maersk-Angola é constantemente acusada de praticas de burla contra os seus clientes. O caso mais recente é de um cidadão nacional Paulo Francisco que pagou uma    caução de USD 1000 a mais de 30 dias para desalfandegar um contentor de mercadoria mas até ao momento, a citada empresa não faz a  devolução do seu dinheiro. O documento em anexo comprova a ligação do cliente com a Maersk.

 


{edocs}images/pdf/Maersk-Angola.pdf, 610, 500{/edocs}



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: