Luanda - Dia sete de Março de 2011, um dia antes do dia internacional da  mulher, está cada vez mais claro que sairemos as ruas e como mulher que somos vamos recordar as nossas heroinas (Diolinda Rodrigues, Rainha Nzinga e tantas outras), que se bateram contra todas as forças de opressão, do povo Angolano.


Fonte: Club-k.net


O local do encontro será no largo da independencia, a manifestação será pacifica conforme permitido na nossa constituição.


Não leve nada que possa ferir ou causar danos a alguém, convidamos todas as mulheres a participarem… Zungueiras, funcionarias públicas, mulheres desempregadas etc, todas nós estaremos lá.


Dia 7 de Março, dia do boicote Nacional


Dia sete de Março de 2011, um dia antes do dia internacional da  mulher, está cada vez mais claro que sairemos as ruas e como mulher que somos vamos recordar as nossas heroinas (Diolinda Rodrigues, Rainha Nzinga e tantas outras), que se bateram contra todas as forças de opressão, do povo Angolano.

 

O local do encontro será no largo da independencia, a manifestação será pacifica conforme permitido na nossa constituição.

 

Não leve nada que possa ferir ou causar danos a alguém, convidamos todas as mulheres a participarem… Zungueiras, funcionarias públicas, mulheres desempregadas etc, todas nós estaremos lá.

 

Apesar das ameaças eu ganhei coragem e estou aqui para dizer que chegou o fim do ditador JES e seus comparsar de deverão abandonar o poder e consequentemente angola.


No dia 7 será o dia do boicote, não vamos trabalhar, mas vamos manifestar contra os ditadores que continuam se enriquecendo se forma ilicita.

 

Os nossos filhos também são angolanos e igual aos filhos dos corruptos  precisam  de melhor educação, melhores serviços de saúde e os nós jovens precisamos de mais e melhores postos de emprego que infelizmente hoje é somente para os Chineses e Portugueses.

 

As mulheres no dia 7 de Março tambem terão uma palavra a dizer, e não é por uma questão partidaria mais sim uma questão de nacionalismo e Angolanidade… 

 

Mulher Angolana, não venda o teu silencio e nem o futuro que pertence aos teus filhos por causa do medo, junte se a nós para derrubar o regime ditador de José Eduardo dos Santos e seu aliados.


Claudeth Caculo de Andrade



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: