Lisboa – Informações que circulam em sectores da UNITA dão conta que,  Isaías Samakuva, terá orientado os dirigentes e membros  do seu partido  para evitarem  juntar-se a qualquer manifestação que venha ocorrer em Angola para  que não sejam  alvos de armadilhas.


Fonte: Club-k.net

Para não serem vitimas de armadilhas

De acordo com relatos internos, o   “inner circle”  de Isaías Samakuva suspeita que as autoridades podem  aproveitar as manifestações convocadas por um movimento desconhecido para dizer que foram convocadas pela UNITA a fim de provocar sentimentos de revolta na população e por sua vez esta condenar  o partido do “Galo Negro”.


 As desconfianças da UNITA de que o regime angolano tenciona  fazer algo contra  si,  surgiram logo após circularem em Luanda relatos advertindo   que as forças policias irão reagir com fogo a semelhança do que  aconteceu no fim de semana passado  em Kinshasa, onde o Presidente Joseph Kabila matou um grupo de manifestantes tendo alegado que era uma  tentativa de “Golpe de Estado”.


 
Das alegadas informações de difícil confrontação,  apresentam prováveis cenários dentre as quais uma suposta emboscada contra o deputado e SG da UNITA,  Abilio Kamalata Numa. Alega-se que a emboscada poderia  ocorrer na sua aldeia no Huambo ou na estrada nacional  120 Luanda-Huambo orquestrando um suposto acidente. Tais ventilações coincidem com informações que dão conta do destacamento  para o Huambo de 16 operacionais idos Cabinda.


As  desconfianças da UNITA são de um m modo geral alimentadas com outras informações que insinuam pretensão de se prender o maior numero  possível de dirigentes seus  dos órgãos de base, e outros sinais a saber:


- Circulação de uma suposta lista de membros do "Galo Negro" a serem melindrados dentre os quais,  um coronel na reserva André Chinjamba que funciona no gabinete de Estudos e Pesquisas e Analises (GEPA) da presidência da UNITA.


-  SMS enviada aos utentes da UNITEL  dizendo que o SG da UNITA, Kamalata Numa pretende  retomar a  guerra em Angola.

 
- Desdobramento das FAA para o Bailundo e outras comunas (Bimbe, Hengue, Luvemba, Lunji e Alto Hama) para reprimir focos de concentração de manifestantes ou desmobilizados  alimentando suspeitas de que o  regime aproveitaria as manifestações como álibi para reprimir opositores internos.


De recordar que as manifestações convocadas em Angola foram  marcadas para dia 7 de Março tendo sido convocada por um movimento anônimo na internet para pedir a saída do presidente José Eduardo dos Santos    que esta no poder a mais de 30 anos.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: