Luanda - Sob a recomendação do ministério do Interior, os efectivos da polícia nacional estarão a partir das 4 de manhã de amanhã (dia 7), para interpelarem todos os indivíduos, que se encontrarem a deambular nas ruas da capital naquelas horas.


Fonte: Club-k.net


Segundo uma fonte ligada a polícia nacional, este órgão do Estado vai plantar pelas ruas cerca de dois mil efectivos, armados até aos dentes, de várias brigadas. Dos motoqueiros, a canina, cavalaria, ao auto, etc.. Dentre os efectivos a serem colocados na rua, haverá mais 400 agentes a civil.


O Club-k soube ainda que na quinta-feira última, o comando geral da polícia angolana exigiu a presença de todos efectivos para uma formatura geral, em todo país. Na capital luandense este acto foi dirigido pelo segundo comandante da polícia, Leitão Ribeiro, onde apelou a comparência obrigatória dos efectivos, hoje (6), nas suas respectivas unidades. “Os que aparecerem no dia seguinte serão considerados de traidores e posteriormente serão detidos até segundas ordens”, contou um dos participantes. 

      
Entretanto, neste exacto momento, em todas zonas suburbanas, tal como urbanas da capital do país, são visíveis a presença de centenas de militares altamente armados, com os seus materiais de guerra.


Importa aqui realçar, que até agora ninguém tem conhecimento do promotor desta ‘arrepiante’ manifestação que está pôr em ‘pânico’ o Executivo angolano. Nos últimos dias, a imprensa estatal angolana têm incitado os cidadãos – através das palavras dos dirigentes do MPLA – a combater, sem olhar para os meios, todos aqueles que pretenderem manifestar-se amanhã, contra a ditadura do Presidente angolano, esquecendo-se assim, do Artigo 47 da actual Constituição que autoriza o acto. 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: