Bruxelas - “A Manifestação de Bruxelas é um triunfo e vitória do povo angolano”, foi com estas palavras que o MOVIMENTO PATRIÓTICO ANGOLANO DA DIÁSPORA  distribui um email dando conta da ocorrência de uma movimentação de protesto contra o regime angolano.


Fonte: Club-k.net

Movimento patriótico angolano da diáspora

Segundo os mesmos “A Comissão de mobilização da manifestação contra o regime de Luanda está muito satisfeita  com os resultados registrados  neste inesquecível dia que marcou a bravura e a coragem de um povo confinado pelo silêncio durante quase 37 anos do poder autocrático e 32 anos da ditadura eduardista. A Manifestação de Bruxelas foi uma grande vitória do povo angolano e sobretudo contou a participação centenas de angolanos de todas as confissões.”


Na íntegra publicamos o comunicado do MPAD

 

MOVIMENTO PATRIÓTICO ANGOLANO DE DIÁSPORA


COMITE ORGANIZADOR

SECRETARIADO PARA A ORGANIZAÇÃO E MOBILIZAÇÃO -   Moção

 

Os participantes a Manifestação pacífica alusiva ao fim do ditador angolano a 32 anos no poder autoritário em Angola, evento esse que tem lugar hoje dia 07 de Março de 2011, em Bruxelas, capital da União Europeia, em reconhecimento do patriotismo e bravura daqueles que sacrificam e defendem zelosamente os direitos fundamentais e as liberdades do povo angolano, decidimos em unanimamente, elaborar uma Moção de solidariedade e apoio aos angolanos do interior e a favor do fim da ditadura em Angola, cujo conteúdo reafirma globalmente os seguintes postulados:


1. Reiteramos o nosso apoio incondicional ao Movimento Patriótico Angolano no interior que enfrentam com a bravura, coragem, determinação patriótica e heroísmo, o regime ditatorial e as forças belicistas do MPLA que subarternizam, asfixiam, mutilam, prendem injustamente e esbanjam o bem público;

 

2. Exigimos a libertação imediata e incondicional do músico angolano Brigadeiro Mata Fakuzx, a equipa do Novo jornal, nomeadamente Ana Margoso, Pedro Cardoso, Afonso Francisco, Idalio Kandé e todos participantes da Manifestação pacífica do largo de Independência detidos hoje as 1 horas em luanda.

 

3. exigimos a libertação imediata e incondicional dos prisioneiros políticos em Cabinda e nas Luandas.

 

4. Pedimos o fim imediato e icondicional das acções bárbares e as medidas repressivas de qualquer tipo, levadas acabo pelo ditador angolano José Eduardo dos Santos e presidente não eleito contra o povo oriundo de Angola.

 

5. Pedimos o fim imediato e incondicional das acções e manobras bélicas e as medidas repressivas levadas acabo pelo regime autoritário contra as populações indefesas.

 

6. Condenamos sem reservas as arrestações arbitrárias e as prisões extrajudiciárias levadas acabo pelo regime autocrático contra os cidadãos angolanos.


7. Condenamos a política de intolerância, de desigualdade, de humilhação e reafirmamos de que os respectivos actos bárbaros, em qualquer parte do mundo, constituem uma grave violação da Carta das Nações Unidas e da Declaração Universal dos Direitos do Homem.

 

8. Condenamos todas as manobras maquiavélicas e de incitação a violência contra o povo e contra os partidos políticos angolanos.

 

9. Exigimos a retirada imediata e incondicional de José Eduardo dos Santos nos órgãos da conduta da nação e das Instituições da Nação. 

 

10. Exigimos o fim do trágico das acções bárbaras registadas em Angola e acima já referidas contra o povo indefeso.


11. Exigimos o fim imediato e incondicional de persseguições dos homens políticos, dos defensores cívicos e inocentes.

 

12. Exigimos o fim imediato das destruições de mercados e as demolições e dos despejos forçados contra as populações angolanas.


13. Condenamos veementemente a imposição de leis e dos ideais que não comungam as inspirações e as necessidades do povo angolano.   


14. Reteiramos o nosso apoio incondicional ao direitos dos povos do mundo as liberdades, a concretização dos seus objectivos e a livre disposição das suas riquezas e recursos naturais.


A nossa luta do povo angolano pela paz, liberdade, e justiça social é justa e legítima para a soberania da nação.


VIVA A PAZ, VIVA A LIBERDADE, VIVA A JUSTIÇA SOCIAL E VIVA A DEMOCRACIA.

Faito em, Bruxelas aos 07 de Março de 2011 ANO DA MUDANÇA


MOVIMENTO PATRIÓCO DOS ANGOLANOS DE DIÁSPORA 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: