Luanda - O presidente do Conselho de Administração da Sonangol, Manuel Vicente (Na Foto), confirmou a posse de um por cento das acções da petrolífera, mas não beneficia dos dividendos, por subscrever uma carta depositada no cofre da empresa que o impede de fazer.


Fonte: Novo Jornal

Falando durante a conferência de imprensa em alusão aos 35 anos da empresa, Vicente fez saber que esta é uma prática absolutamente normal. “Na Inglaterra até nem são os gestores, são os advogados que fazem isso. A lei aqui diz que um ente de per si não pode criar uma sociedade comercial tem de ir buscar um sócio e nós temos que deixar as coisas inteiras, isso é do Estado, não é nosso”, salientou Manuel Vicente.


“Se isso fosse privado nós íamos buscar um outro sócio qualquer. Qual é a prática que já vem desde as direcções. O chefe da empresa subscreve uma acção, um por cento da participação, mas simultaneamente faz uma carta que está no cofre da empresa a dizer que isto não lhe pertence, tal que não lhe pertence que aquando da distribuição de dividendos não recebe”, frisou.


De acordo com o PCA da petrolífera, houve uma distribuição de dividendos durante estes anos todos e a Sonangol incorporou todos os dividendos. “Eu deveria reclamar o meu um por cento, e não reclamei, porque não posso, a carta está lá”, disse.


“Aliás, deveria cobrar até por desempenhar este papel, que está inerente a isso o desempenho de uma actividade civil e criminal”, sustentou o responsável.


Entretanto, dados disponíveis indicam que, a produção petrolífera em Angola atingirá, em 2012, dois milhões de barris/dia, contra os actuais 1,7 milhões (oficias).


Nessa perspectiva, os níveis previstos irão superar o marco histórico de 2004, quando o país alcançou a cifra produtiva de um milhão de barris/dia. Estes dados representam cifras oficias, já que é público que Angola tem rompido a quota estabelecida pela OPEP.


Angola dispõe de três bacias petrolíferas designadamente, a do Baixo Congo a norte, a do Kwanza a Centro e a bacia do Namibe a Sul, inseridas na bacia salífera da África Ocidental, sendo uma das maiores províncias petrolíferas do Mundo.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: