Lisboa - A ministra da comunicação social, Carolina Cerqueira observa dificuldades no processo de afastamento do  director-geral  do Centro de Imprensa Anibal de Melo, Olímpio de Sousa e Silva.

Fonte: Club-k.net


Sob orientação da mesma, o seu “Vice”, Miguel de Carvalho “Wadijimbi”, abordou  o DG do CIAM, há mais de quatro meses, informando-o da sua demissão.  Olímpio, por sua vez,  apresentou queixa na mulher, Ana Maria de Sousa e Silva, que é Secretaria  adjunta do Secretário do Conselho de Ministros. Esta  abordou,  Carolina Cerqueira numa  reunião do Conselho de Ministros dizendo que só aceitaria que demitisse o marido se o colocasse em lugar melhor.


Olímpio de Sousa e Silva  está à 15 anos no CIAM, e tem a reputação de pouco competente. Trabalhou  antes na sede do MPLA, que agora recusa-se a  recebé-lo como antigo funcionário. No CIAM, ficou também  notabilizado por passar grande parte do tempo a fabricar contas com ajuda de um forjador identificado por “Ngola”.


O Ministério da comunicação social não tem onde colocá-lo. Em resultado do ambiente  que se observa o mesmo  permanece no CIAM mas sem poderes efectivos de gestão. Os funcionários da instituição vão   no terceiro mês sem os seus ordenados (Não estão inscritos no Mapess).  O Ministério decidiu que doravante passará  a  pagar  os salários directamente aos funcionários  chamando a si, o  controle de  todo o orçamento daquele  Centro de Imprensa.


Segundo uma constatação “in loco”, o  director do CIAM,  tem agora a  função prática,  de marcar  falta aos trabalhadores. O quadro vigente é descrito como um finca-pé, visto que o  Ministério deseja que o mesmo  desista mas Olímpio de Sousa e Silva   é citado como estando duro.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: