C O M U N I C A D O   D E    I M P R E N S A


PELO RESPEITO ÀS INSTITUIÇÕES


O Grupo de Carnaval “Os Unidos do Caxinde” foi proclamado a 27 de Março de 2001, sob patrocínio da Associação Cultural e Recreativa Chá de Caxinde.  Após a sua participação na 33ª. edição do Carnaval de Luanda e no momento em que se apresta a festejar o seu 10º. aniversário, vem, através do presente Comunicado de Imprensa e antes do mais, felicitar o Grupo União Sagrada Esperança pela brilhante conquista do título de campeão do Carnaval de Luanda de 2011. Vem igualmente felicitar e estimular os demais grupos participantes por tudo quanto têm feito a favor do desenvolvimento e promoção do Carnaval angolano.

 

Reunido o Conselho Directivo da Associação Cultural e Recreativa Chá de Caxinde, e após profunda reflexão sobre os factos que motivaram a decisão que adiante se descreve, vem por este meio anunciar que o Grupo “Os Unidos do Caxinde” não participará nos próximos desfiles do Carnaval de Luanda. É uma decisão tão difícil quanto dolorosa, mas que foi devidamente ponderada. É uma decisão que, desde já, se lamenta profundamente. Para que se entenda esta posição, é imprescindível que, em primeiro lugar, se realce com clareza que ela nada tem a ver com a classificação obtida no desfile realizado a 8 de Março passado. Feito isto, torna-se necessário passar aos factos:

 

Por iniciativa da Delegação Provincial da Cultura de Luanda, em representação do Governo Provincial, e segundo informação que recebemos do Gabinete de S.Exa. o Ministro da Administração do Território, “Os Unidos do Caxinde” não foram incluídos no convite feito a vários grupos de Carnaval de Luanda para participar no acto central e na grande manifestação política e cultural que marcou as comemorações do 35º. aniversário da Independência Nacional realizadas no Estádio 11 de Novembro, devido a critérios de ordem cultural.

 

Registe-se que foram convidados e participaram nesse acto, os Grupos de Luanda que se classificaram do 2º. ao 5º. lugar no anterior desfile de Carnaval, onde justamente o Grupo de Carnaval “Os Unidos do Caxinde” arrebatou o título de campeão.

 

Porque não conseguimos entender em que critérios de ordem cultural se baseou a Direcção Provincial da Cultura de Luanda para justificar a sua decisão;

 

Porque os argumentos apresentados tardiamente pelo Senhor Director Provincial na explicação que foi forçado a dar a S.Exa. a Ministra da Cultura, carecem, em nosso entender, de sustentação credível;

 

Porque as circunstâncias descritas nos obrigam a relacionar esta desagradável ocorrência com o facto de igualmente “Os Unidos do Caxinde” não terem sido convidados para o acto de inauguração do Estádio 11 de Novembro, onde também participou um número considerável de Grupos de Carnaval de Luanda;

 

Sendo facto que não tem vindo a ser tido em conta o valioso contributo que o grupo de Carnaval “Os Unidos do Caxinde” no decurso de uma década ininterrupta colocou ao serviço do Carnaval e da Cultura Angolana;

 

Ainda porque, e fundamentalmente, a nossa organização se sente à luz da nossa Constituição, vítima de uma grave, incompreensível e inexplicável situação de exclusão;

 

Vem o Conselho Directivo da Associação Cultural e Recreativa Chá de Caxinde, através do presente Comunicado de Imprensa, expressar às entidades oficiais do nosso país, à sociedade civil angolana e a todos os angolanos, muito especialmente aos homens e às mulheres de cultura, o sentimento de indignação que neste momento envolve os membros da Associação Cultural e Recreativa Chá de Caxinde e do Grupo de Carnaval “Os Unidos do Caxinde”.

 

Repudiando energicamente as veladas intenções de agentes culturais que distorcem gravemente as políticas e os princípios definidos, pede-se a compreensão de todos pelo facto de termos decidido aproveitar esta ocasião em que se vivem ainda momentos de alegria e euforia resultantes do clima que envolveu o desfile de Carnaval, para divulgar a imensa tristeza contida no presente Comunicado.

 

Pede-se igualmente a compreensão de todos por esta atitude que não pode ser escamoteada, já que configura uma situação de direitos e cidadania, questão da maior seriedade que é, obviamente, do interesse de toda a população angolana.

 

Pede-se ainda e por último, a compreensão de todos pela atitude tomada, bem contra a nossa vontade, uma decisão que perdurará enquanto não virmos mudanças de comportamento dos responsáveis provinciais da Cultura, principalmente no que toca ao respeito que todos os intervenientes nesta manifestação da nossa cultura devem merecer, sem qualquer tipo de descriminação. Frise-se, no entanto, que o afastamento do desfile central não nos afasta, porém, de outras manifestações ligadas à festa e ao movimento do Carnaval. A nossa ligação ao Carnaval está consignada nos documentos da nossa proclamação.

 

Ao terminar, não podemos deixar de solicitar igual compreensão pela atitude que fomos forçados a tomar, primeiramente à abnegada e maravilhosa juventude que nos acompanha há dez anos e a todos os membros de “Os Unidos do Caxinde”, dos “Boémios” à “Velha Guarda”. Pedimos compreensão aos nossos associados, simpatizantes e amigos, aos músicos, compositores, percussionistas, estilistas, artistas plásticos, operários, cozinheiros, alfaiates, técnicos, pessoal de limpeza e segurança por essa experiência magnífica de dez anos de convívio salutar e educador. Depois, aos nossos patrocinadores, apoiantes e colaboradores de sempre. Por fim, ao magnífico e incomparável público que sempre nos manifestou carinho e apoio. A dignidade das pessoas e das instituições tem preço elevado e não podemos nem devemos permitir de modo algum que a nossa massa associativa, constituída por respeitáveis cidadãos das mais diversas profissões e classes sociais, seja, por via da sua vinculação à nossa agremiação, confundida e tratada com menor respeito.


    Luanda, 22 de Março de 2011
   
    UNIR PELA CULTURA

          O CONSELHO DIRECTIVO



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: