Luanda - O Ministro da Defesa, general Cândido Van-Dúnem foi criticado pelos populares em Luanda  por ter criado, por volta o8h desta manhã de Quinta feira,  um “terrível” caos na principal estrada da Samba acompanhado com o seu batedor militar.

 

Fonte: Club-k.net

Tinha que ir a uma audiência com o embaixador japonês

Fazendo-se transportar  na sua viatura protocolar de marca Volvo com a chapa de matrícula: LD-49- 70-CC, o governante confrontou-se com a resistência de outros condutores, facto que forçou o  seu batedor militar  a descer  várias vezes da motorizada para ir  pedir favor a outros motoristas para que abrissem caminho  no sentido de facilitar que  o  ministro  se deslocasse  ao trabalho, onde da sua agenda constava uma audiência ao embaixador japonês acreditado em Angola.

 

A resistência de outros utentes da via,  em situações similares, é justificada com um “ganho de consciência”  dos populares  de não serem obrigados a criar facilidades aos dirigentes ou de os fazer ver também  o que o povo tem sentido com os sem fim de  problemas de engarrafamentos em Luanda, nomeadamente:


- A uns meses atrás o Presidente da Assembleia Nacional,  Paulo Kassoma numa medida destinada a evitar o trânsito, sentiu-se obrigado a conduzir no sentido oposto da estrada que estava mais livre acabando por descontinuar da prática após fortes criticas sobre o seu alegado mau exemplo.

 

- Numa outra ocasião o Governador provincial do Huambo, Faustino Muteka, que se encontrava de passagem por Luanda , usou  o mesmo trajecto e  viu uma das rodas da sua viatura furada, porém, os populares recusaram-se simplesmente de ajudar o governante, que não teve outra alternativa senão esperar com o seu guarda-costas por socorro durante várias horas várias horas, o que denotava estar em indisposição de  um pneu de socorro



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: