Luanda - Os resultados provisórios do pleito eleitoral divulgados esta quinta-feira, em Luanda, colocam Pedro Neto (candidato da lista A) na presidência da Federação Angolana de Futebol (FAF) com 58 votos, contra 27 do seu opositor, Artur de Almeida e Silva (lista B).
 

Fonte: Angop


Pedro Neto, vencedor das eleições na FAFContabilizados os votos de cada um dos concorrentes nas 18 províncias do país, o antigo presidente de direcção do 1º de Agosto suplantou o oponente, sobretudo nas províncias com maior população votante, designadamente Luanda, em que venceu por 14-6, Benguela (5-1), Cabinda (10-4), Cunene (4-1) e Moxico (4-1).
 

Caso se confirme o escrutínio no dia 23, altura em que a comissão eleitoral divulgará os resultados definitivos, Pedro Neto vai gerir a FAF por um período de 18 meses, seguindo-se a realização de novo pleito em 2012, em conformidade com o ciclo olímpico.
 


As eleições no órgão reitor do futebol nacional foram convocadas em Março último em assembleia-geral extraordinária por iniciativa dos associados, que reclamavam maior dinâmica na elaboração e execução dos projectos de desenvolvimento.
 


Pedro Neto, que até bem pouco tempo exercia as funções de embaixador de Angola na República da Zâmbia, substituiu o antigo futebolista Justino Fernandes, que exerceu o cargo de 1999 a 2011 (três mandatos).
 


O virtual vencedor tem no seu programa de acção, entre outros, a construção de campos, centros de treinamento das selecções nacionais, formação de árbitros e de treinadores, bem como a criação do estatuto do atleta profissional.

 
A profissionalização do futebol em todas as suas vertentes da iniciação ao alto rendimento, elaboração e divulgação de programas contra a dopagem, reforço de relações com a FIFA e CAF fazem igualmente parte do projecto de Pedro Neto.

 

Federação conhece sexto presidente em 32 anos

 

Fundada em 1979, a Federação Angolana de Futebol (FAF) viu eleger hoje (quinta-feira) o seu sexto presidente, durante um pleito cujas preferências da massa votante recairam para o antigo futebolista Pedro Neto (líder da lista A), em detrimento do empresário Artur  de Almeida e Silva, com 58 votos contra 27.

 

Pedro Neto, cuja confirmação como líder do órgão reitor da modalidade acontece no próximo dia 23, conforme obriga o regulamento eleitoral, substituirá Justino Fernandes, que ocupou o cargo durante três mandatos desde 1999.

 

Justino Fernandes, antigo ministro dos Desportos, viu interrompido o mandato que terminaria em 2012, devido a uma iniciativa dos associados, que solicitaram a realização de a assembleia-geral extraordinária da qual resultou as eleições antecipadas.

 

Eduardo dos Santos, que liderou a FAF no período de 1979 a 1984, foi o primeiro presidente da instituição, seguindo-se Luís Gomes (1984/1990) e José António Fernandes (1990/1991).

 

A assumpção do cargo por Armando Machado (1992 a 1999) marcou uma viragem nos moldes até então seguidos. Pela primeira vez o presidente de direcção ocupou o cargo por via de eleições, método vigente até aos dias de hoje.

 

O período de liderança de Armando Machado foi marcado pela construção da sede social da Federação Angolana de Futebol e o Hotel Palanca, infra-estruturas localizadas no complexo da cidadela desportiva, em Luanda.

 

Foi também sob sua “jurisdição” que Angola participou pela primeira vez na fase final de um Campeonato Africano das Nações em futebol, em 1996, no CAN da África do Sul. Na altura, a selecção nacional foi liderada tecnicamente por Carlos Alhinho, já falecido.

 

Em 1999 foi a vez de Justino Fernandes emprestar o seu saber em prol do futebol nacional, tendo se mantido no posto por três mandatos de quatro anos cada.

 

Este foi “obrigado” pelos associados a abdicar do seu último ano de gerência, por alegada necessidade de revitalização do futebol nacional.

 

Foi sob gestão deste antigo governador da província de Luanda que o futebol angolano conheceu momentos áureos, com destaque para a conquista do CAN2001 em sub-20, na Etiópia, a participação no mundial da categoria na Argentina, no mesmo ano, presenças quase regulares na fase final de campeonatos africanos das nações, a participação inédita no mundial "Alemanha2006” e a realização no país do CAN2010.

 

Apesar de tudo isso, tais sucessos têm sido ofuscados pelos resultados menos conseguidos das selecções nacionais e a nível organizativo.

 

Imputa-se à gestão cessante o facto de, por exemplo, Angola estar em vias de falhar a qualificação ao CAN2012, no Gabão e Guiné Equatorial, devido a sucessivas falhas organizativas, que resultaram no despedimento, quase sequencial, de técnicos.

 

Dentre os treinadores que passaram pelo Palancas, destaque para Oliveira Gonçalves, que liderou os sub-20 na conquista do campeonato africano, levou a selecção sénior ao mundial da Alemanha e alcançou pela primeira vez os quartos-de-final no CAN de 2008, no Gana.

 

Caso se confirme dia 23 os resultados do escrutínio de hoje, será a vez de Pedro Neto conduzir a FAF para os níveis organizativos reclamados pelos associados que disseram sim a sua candidatura.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: